Carregando...

Publicidade

As medidas adotadas objetivam dar mais segurança e tranquilidade aos usuários dos aplicativos de transportes compartilhados, que estavam apreensivos diante da ação de alguns maus profissionais. (Foto: Kid Júnior)

Aplicativos de Transportes: Anunciadas medidas de segurança.

A 99 anunciou que Fortaleza será a primeira cidade do País a ter reanálise de 100% dos seus motoristas.

30/08/2018

Cerca de um ano após terem sido abraçados pela população, os aplicativos de transporte compartilhados entram numa nova era: a da segurança. As três grandes empresas atuantes em Fortaleza, Easy, Uber e 99, anunciaram medidas cujo objetivo é garantir maior tranquilidade ao passageiro e motorista. Reanálise de cadastros, implantação de reconhecimento facial dos motoristas e compartilhamento em tempo real da rota são alguns dos avanços tecnológicos a serem disponibilizados.

As medidas, embora reflitam maior segurança, sobretudo ao passageiro, não são consideradas suficientes pelo especialista Paulo Henrique da Silva Franco, analista de Tecnologia da Informação e mestre em Engenharia de Teleinformática. Ele destaca a necessidade de os serviços se adaptarem à recém-aprovada Lei de Proteção de Dados Pessoais Brasileira (PLC 53/2018).

"No tocante às empresas de transporte privado, é importante que seja garantida a proteção dos dados sensíveis (nome, histórico de viagens), assim como, a integridade física dos passageiros e motoristas". Pata tal, ele defende um estudo minucioso, no campo da mobilidade, aliado à segurança, e destaca que, além de "ferramentas tecnológicas para validação de informações cadastrais, é necessário que sejam estudados processos que evitem ataques de engenharia social".

Pioneira

Em entrevista ao Diário do Nordeste, o presidente da 99, Matheus Moraes, anunciou que a Fortaleza será a primeira cidade do Brasil a ter reanálise de 100% dos motoristas cadastrados. "Não checaremos só os documentos, como habilitação, RG e o documento do veículo, mas também seu estado de conservação e a manutenção dos itens de segurança do carro", pontuou. A checagem dos cadastros iniciou ontem, no shopping Iguatemi e deve durar 15 dias. "Se for preciso, ampliaremos o prazo. O importante é fazer a reanálise completa", disse, e acrescentou que cerca de dois mil cadastros devem ser vistoriados por semana.

Matheus confidenciou que alguns cadastros já foram suspensos por algum tipo de irregularidade e reconheceu que a prisão, há duas semanas, do radiologia Patrick Gomes do Nascimento, 26, que se passava por motorista para violentar mulheres, "antecipou o processo de mudança". Além dessa iniciativa, Fortaleza também dará início a outra implantação do aplicativo, a ferramenta de reconhecimento facial dos motoristas.

O presidente da 99 informou, ainda, que o novo sistema deve entrar em funcionamento em até 15 dias. A empresa disponibiliza canal de atendimento exclusivo para incidentes de segurança, o 0800-888-8999. A assistência oferece apoio emocional e auxílio imediato e diuturno, que pode incluir o envio de carro em ocorrências em que a vítima tenha sido deixada em local ermo ou desconhecido, por exemplo.

Botão de recursos

Além da instalação, em São Paulo, do primeiro Centro de Desenvolvimento Tecnológico na América Latina com foco, inicialmente, em segurança, a Uber destaca novas funções, como a tecnologia de machine learning - que identifica riscos com base na análise dos dados de milhões de viagens realizadas diariamente - e o botão de recursos de segurança, lançado em julho, que concentra todas as ferramentas do aplicativo com essa finalidade. "O machine learning é um valioso banco de dados fornecidos pelo próprio passageiro e que tende a ter atualização periódica, de acordo que as corridas. Com base nesses dados, caso a Uber identifique algum risco, o app bloqueia o chamado da corrida para preservar o passageiro".

A Uber também dispõe de botões de emergência e compartilhamento em tempo real da rota. "Nossa política é focada na segurança. Acreditamos na necessidade periódica de estudar meios e estratégias, em buscar melhorias que garantam maior segurança aos usuários".

A Easy, aplicativo para táxis, destacou que possui operação e regulamentações diferentes em relação aos apps de motoristas particulares. A empresa faz o cadastro de taxistas em sua plataforma, solicita os documentos para comprovar o serviço público de transporte de passageiros e checa a veracidade do conteúdo enviado. "A plataforma de mobilidade para táxis investe em tecnologias para reduzir os possíveis riscos de segurança de todos, aprimora constantemente seus processos e possui expertise de mais de 400 cidades e de nove países", informou.

Fique por dentro

Estupros despertaram a preocupação

As medidas de segurança foram anunciadas após o técnico em radiologia Patrick Carneiro do Nascimento, de 26 anos, ter sido preso, no último dia 16 de agosto, suspeito de cometer estupros a passageiras do aplicativo 99. Segundo a Polícia, o suspeito tinha ao menos dez perfis falsos, em diversas plataformas de transporte. Ele raptava as vítimas durante a noite e a madrugada, desviada a rota de destino até regiões ermas de Fortaleza e as violentava.

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) informou que o falso motorista é investigado em oito inquéritos policiais, sendo sete por crime sexual, sendo dois no 15º Distrito Policial, quatro na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), e um na Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur); e um por estelionato (no 15º DP). Os inquéritos instaurados pelo 15º DP foram concluídos e remetidos à Justiça. O suspeito continua preso por força de mandado de prisão preventiva. Os demais casos seguem com investigação em andamento para apurar a responsabilidade criminal do suspeito em outros casos envolvendo crimes sexuais. Após a prisão do suspeito, outras cinco vítimas compareceram às delegacias especializadas.



Total de acessos: 239335

Visitantes online: 1