Carregando...

Publicidade

Marcelo Arcanjo, 60, é policial federal aposentado. Ele foi eleito no ano de 2016 e pode ter seu mandato cassado. (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Suspeito de Homicídio: Polícia segue em busca de prefeito.

31/08/2018

O prefeito de Santana do Acaraú (a 250 km de distância de Fortaleza), Marcelo Arcanjo, de 60 anos, segue foragido há mais de 24h. O político e policial federal aposentado é suspeito de assassinar a tiros Augusto César do Nascimento, na última quarta-feira (29), por volta de 18h30.

O comandante da Área Integrada de Segurança (AIS) 14, tenente-coronel Francisco Assis, que participou das buscas, afirmou que, até o início da noite de ontem, a Polícia não tinha informações acerca do paradeiro de Marcelo Arcanjo.

Assis ressaltou que o boato espalhado nas redes sociais sobre um possível suicídio do prefeito, após cometer o crime, não se confirmou e prejudicou o trabalho das autoridades: "Essas informações falsas plantadas nos colocaram, algumas vezes, nas direções erradas".

A delegada Rita Porto, à frente das investigações a respeito da motivação do homicídio, acrescentou que equipes da Polícia Civil continuam as buscas pelo prefeito. "Tanto a Delegacia Regional de Sobral quanto a Municipal de Santana do Acaraú estão à procura. Nós desconhecemos essa versão que o prefeito abraçou a vítima antes de matá-la. Mas a morte aconteceu, sim, dentro de uma residência", relatou a investigadora.

Segundo o tenente-coronel Assis, populares contaram que vítima e suspeito mantinham uma relação de amizade. Porém, há cerca de seis meses, Augusto César tinha sido demitido da Secretaria Municipal de Ação Social de Santana do Acaraú e discutiu com Arcanjo.

"Eles eram melhores amigos e se transformaram nos piores inimigos. Os comentários dos populares também dão conta que o prefeito passou a quarta-feira bebendo. Novas equipes da PM foram designadas e auxiliam nesse cerco", declarou o militar.

Impacto

Ontem, a reportagem da TV Verdes Mares conversou com moradores do Município, que ainda se mostravam surpresos com o crime. Entre amigos e parentes da vítima, o sentimento é de dor e revolta.

Além das sensações de insegurança e impunidade, a população demonstrou curiosidade sobre o destino do cargo de chefe do Executivo. Por Lei Municipal, o prefeito pode se ausentar por até 15 dias, sem autorização da Câmara dos Vereadores.

Marcelo Arcanjo foi eleito no ano de 2016, pelo MDB, com 52% dos votos. Conforme especialistas, além da prisão, o homicídio pode resultar em cassação do mandato, já que é uma infração "proceder de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo".



Total de acessos: 217972

Visitantes online: 4