Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Crescimento Econômico: Roterdã investirá R$ 364 milhões em parceria com o Pecém.

Em comunicado, o porto holandês diz ter a expectativa de assinar o contrato com o terminal do CE no próximo mês.

31/08/2018

Para fechar a participação no complexo industrial e portuário do pecém (cipp s.A), o porto de roterdã entrará com um investimento de em torno de 75 milhões de euros, cerca de r$ 364 milhões. Além de deter 30% de participação acionária do complexo, a autoridade do porto de roterdã terá controle conjunto de decisões estratégicas e posições na diretoria executiva, conselho fiscal e nível gerencial.

A expectativa é que o contrato seja assinado no próximo mês, segundo comunicado do porto de roterdã - já os meses seguintes seriam usados para aprofundar ainda mais a finalização da parceria. "nossa participação no porto é promissora para todas as partes. Trabalharemos com o estado do ceará para garantir que pecém se torne o futuro hub logístico e comercial do nordeste do brasil", disse o ceo allard castelein, declarando-se satisfeito com a decisão.

Os holandeses avaliam que o crescimento econômico nacional e internacional e a demanda de mercado relacionada permitirão que o pecém continue a se desenvolver para uma produção de 45 milhões de toneladas até 2030. "além disso, pecém é uma proposta atraente porque a maior parte da infraestrutura necessária (quebra-mares, berços, terra, etc) já está disponível", destacou a autoridade do porto de roterdã em nota.

De acordo com o secretário de desenvolvimento econômico do estado do ceará, cesar ribeiro, o projeto foi validado pelos acionistas do porto de roterdã e agora cabe ao governo do estado seguir o processo. "agora, a gente vai tratar aqui pelo estado, o governador vai avaliar para a gente poder dar os encaminhamentos. A gente fica muito feliz com isso, a expectativa do projeto é a maior possível", afirmou o secretário.

Na avaliação do economista e consultor alcântara macedo, ainda que a parceria com o porto holandês seja muito positiva para o estado com a transferência de tecnologia e know how para o porto cearense, uma negociação de primeiro mundo, o investimento de 75 milhões de euros pela autoridade do porto de roterdã é ínfimo. "é um valor insignificante para as necessidades do porto do pecém e por 30% dos seus ativos", critica.

Ele argumenta que há décadas os cearenses investem no terminal, um grande esforço que precisa ser remunerado de forma compatível. "o porto do pecém é extremamente bem localizado, na esquina da américa do sul, de modo que só faz sentido para nós ter investimento, não só de transferência de tecnologia e conhecimento, por mais que isso seja muito importante também", explica o economista.

Potencial

Segundo o porto de roterdã, o brasil oferece muito potencial, em parte devido à abundância de matérias-primas e, em parte, porque o país deve se tornar um mercado em crescimento nas próximas décadas. O empreendimento holandês destaca ainda que o porto do pecém movimentou aproximadamente 16 milhões de toneladas em 2017 e que apresentou crescimento médio anual de 22% nos últimos dez anos.

Para os holandeses, o porto do pecém tem a possibilidade e a ambição de se transformar em um polo industrial e logístico para o nordeste do brasil, o que, no entendimento deles, oferecerá muitas oportunidades para fluxos de comércio internacional e investimentos da europa.

Além da participação no porto do pecém, a autoridade do porto de roterdã também está envolvida no porto central, um terminal que ainda está em desenvolvimento no estado do espírito santo.

Ao atuar no cenário marítimo internacional, a autoridade do porto de roterdã afirma estar criando valor econômico e social para a netherlands inc. E para a região de rotterdam-rijnmond e, com isso, oferece oportunidades para empresas holandesas no exterior, aprendendo com as "melhores práticas" internacionais, mantendo a reputação do cluster marítimo de roterdã em alto nível e obtendo retornos financeiros de suas atividades internacionais.

Temor de empresários

Conforme apurou o colunista do diário do nordeste egídio serpa, empresas locais de operação portuária preocupam-se com o que poderá acontecer com elas a partir do momento em que os holandeses assumirem suas funções na administração do porto. O temor é relativo à possibilidade de roterdã atrair para o pecém empresas operadoras europeias, que chegarão ao estado com "mais dinheiro, mais equipamentos e mais tecnologia".

Opinião do especialista

Oportunidade para o Ceará se tornar um hub

Tom Prado - CEO da Itaueira Agropecuária

A parceria entre o Porto do Pecém com o Porto de Roterdã é uma grande oportunidade para o Estado do Ceará. E a experiência de um dos portos mais bem administrados do mundo, trazendo para cá novos investimentos, novas linhas de navegação, dará a oportunidade do Ceará ser um hub tanto de importação como de exportação de cargas.

Com essa parceria, será possível o aumento das exportações do Estado porque, com a presença de novas linhas de navegação, você amplia a concorrência, aumenta a oferta de navios, criando mais destinos, diminuindo a distância entre o Ceará e esses países. Com isso, haverá uma redução do frete e, consequentemente, do custo da mercadoria.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 240288

Visitantes online: 1