Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Ensino Fundamental: CE mantém melhor índice de educação do Norte e Nordeste.

Para calcular o Ideb, são compiladas a taxa de rendimento escolar e as médias de desempenho nos exames do Inep.

04/09/2018

Pelo sexto ano consecutivo, o Ceará se destacou no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) - indicador da qualidade de ensino do País, considerando dados de aprovação e performance nas avaliações do Ministério da Educação (MEC). O balanço foi divulgado ontem (3), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Com 6,2 pontos (escala de 0 a 10) nos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) e 5,1 na etapa final (6º ao 9º) o Estado obteve os resultados mais expressivos do Norte e Nordeste.

Os indicadores cearenses ficaram além da meta estipulada pelo MEC, que foi de 4,8 pontos para as séries do 1º ao 5º ano e 4,6 para as séries finais do ensino fundamental (6º ao 9º). Nesta etapa, 20 estados não atingiram a meta. Dentre todas as unidades federativas, o Ceará atingiu o quarto melhor índice nas séries iniciais, ficando atrás apenas de São Paulo e Goiás, ambos com 5,3 e Santa Catarina (5,2). Na etapa final do Ensino Fundamental, foi superado por São Paulo (6,6), Distrito Federal (6,3) e Santa Catarina, Minas Gerais e Paraná (6,5). Sobral, destaque frequente na educação nas esferas estadual e nacional, conseguiu, mais uma vez, se sobressair, e atingiu o maior indicador do Ceará, com 9,1 pontos, na fase inicial (5º ao 9º).

Os bons resultados educacionais do Ceará se repetem desde de 2007. Nos últimos 11 anos, foram seis indicadores divulgados pelo Inep. Em 2007, o Estado atingiu a meta, com índice de 3,5 para os anos iniciais e 3,0 para os anos finais.

Para calcular o Ideb, o Instituto compila a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho nos exames aplicados pelo Inep. A cada levantamento, que ocorre bienalmente, são estabelecidas metas para os estados e municípios, de modo que o índice nacional possa chegar a 6,0 até o ano de 2021.

O secretário de Educação do Ceará, Rogers Mendes, atribui os seguidos sucessos à política de cooperação entre municípios e Estado. "Embora constitucionalmente o governo estadual não tenha gerência sobre o ensino básico, nós sempre atuamos de forma conjunta com os municípios, garantido-lhes todo o suporte necessário para um ensino de qualidade. Atuamos desde a formação de professores ao reconhecimento com premiações das escolas mais bem avaliadas do Estado. Nossa política assertiva com os 184 municípios tem rendido bons resultados", diz.

O titular da Pasta ressalta, ainda, o crescimento equitativo entre as cidades. Conforme Mendes, há uma política homogênea, "que olha com atenção para todos municípios". Os números chancelam sua fala. Entre as escolas da fase inicial do Ensino Fundamental (1º ao 5º), 99,5% atingiram a meta estabelecida pelo MEC. Entre o 6º e 9º ano, mais de 85% das escolas públicas alcançaram o índice. Ele destacou, ainda, o aprimoramento e expansão do Programa de Alfabetização na Idade Cera (Paic).

Investimentos

Para Juliana de Souza Yade, especialista em Educação do Itaú Social, os investimentos longitudinais observados no Estado refletem num salto de qualidade do ensino básico. Ela avalia que as políticas que perpassam diferentes governos convergem num processo sólido e positivo de ensino, cujos os frutos serão colhidos ao longo do processo educacional. Fortaleza também foi destaque no Ideb, no Ensino Fundamental. Para os primeiros anos do ensino, o índice foi de 6,0 pontos, superando a meta de 4,9. Já nos anos seguintes (6º ao 9º), foi verificado índice de 4,9, quando a meta era de 4,2.



Total de acessos: 239703

Visitantes online: 1