Carregando...

Publicidade

12 armas de fogo artesanais (inclusive fuzis e rifle), silenciadores e munições foram apreendidos na residência do suspeito. (Foto: Helene Santos)

No Mondubim: Suspeito fabricava armas de fogo para facção criminosa.

05/09/2018

Um homem de 60 anos que fabricava armas de fogo artesanais para uma facção criminosa que atua no Estado foi preso em flagrante, por policiais civis do 8º DP (José Walter), no bairro Mondubim, em Fortaleza, na última segunda-feira (3). A Polícia Civil segue em investigação, com o objetivo de identificar os receptores do armamento.

Airton Patrício Aquino foi detido dentro de sua residência, na posse de 12 armas artesanais, silenciadores e munições. Fuzis calibre 762; rifle Ponto 22; metralhadoras Ponto 380; espingardas calibre 12; e pistolas Ponto 40, 380 e 635 estavam entre o material bélico apreendido.

Conforme o titular do 8º DP, delegado Breno Fontenele, no momento da abordagem dos policiais civis, Airton Patrício fabricava um fuzil. O armamento produzido artesanalmente pelo suspeito é semelhante às armas de uso restrito das Forças Armadas do Brasil, segundo Fontenele.

As armas, silenciadores e munições, abastecidas e desabastecidas, ficavam escondidas no próprio imóvel do suspeito, onde o material também era fabricado. O homem de 60 anos foi autuado pelos crimes de porte ilegal de munição e de armamento de uso restrito, além de organização criminosa.


Airton Patrício Aquino, 60, foi autuado por três crimes. Ele já respondia por posse ilegal de arma de fogo. (Foto: Helene Santos)

Histórico

Em depoimento, Airton Patrício negou que fizesse o material para uma facção criminosa e alegou que fabricava os equipamentos para interessados que pagassem pelo serviço. Canos de ferro, inclusive de motocicletas, e carcaças de armas eram utilizados na confecção do armamento. Ainda conforme Fontenele, o suspeito preso era conhecido no bairro por praticar a atividade ilícita há vários anos.

O silenciador fabricado pelo homem tinha capacidade de reduzir o ruído do disparo da arma em até 50%. "Ele era muito habilidoso no que fazia, tanto que era conhecido na vizinhança por fazer manutenção em armas. Mas ele não era armeiro, não tinha licença para realizar o serviço", ressalta o delegado.

Airton Patrício Aquino foi identificado após equipes do 8º DP receberem uma denúncia anônima, que informava que um torneiro mecânico estaria fabricando armas em um local na Avenida Costa e Silva, no bairro Mondubim. Ele já tinha passagem pela Polícia por posse ilegal de arma de fogo. (Colaborou Alessandra Castro)



Total de acessos: 239950

Visitantes online: 1