Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Internet)

Divulgado no Twitter: Temer ataca Alckmin em vídeo.

06/09/2018

São Paulo. Fora da campanha eleitoral, o presidente Michel Temer usou suas redes sociais para divulgar um vídeo em resposta às críticas do tucano Geraldo Alckmin ao seu governo.

“Se você vier a ganhar a eleição, essa base será a sua base governamental”, disse.

A mensagem de dois minutos foi divulgada no Twitter de Temer, que se dirigiu em tom irônico ao presidenciável tucano.

“Me dirijo a você pelas falsidades que tem colocado no seu programa eleitoral e eu não posso silenciar em homenagem ao povo brasileiro”, diz.

Temer citou três de seus ex-ministros que hoje estão na coligação do PSDB: Mendonça Filho (DEM), Marcos Pereira (PRB) e Ricardo Barros (PP). Citou ainda o PTB, que comandou a Trabalho. “Você diz que a educação foi um desastre. Você sabe quem foi o meu ministro? O Mendonça Filho, que é do DEM, partido que apoia a sua candidatura”, afirmou em tom de deboche.

Por último, Temer lembrou ter apoiado o tucano em outras disputas eleitorais.

“Eu me lembro, Geraldo, quando você foi candidato a governador, a presidente, nas vezes em que eu te apoiei, especificamente para esses cargos, eu acho que você era diferente. Não atenda ao que dizem os seus marqueteiros, atenda apenas à verdade”, disse o presidente.

O vídeo surge no dia da divulgação de que a Polícia Federal concluiu inquérito sobre supostos repasses ilícitos da Odebrecht ao MDB e concluiu que Temer recebeu da empreiteira propinas de ao menos R$ 1,43 milhão. Em relatório, o delegado Thiago Delabary sustenta que há indícios de que Temer praticou crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Terceira denúncia

O documento foi enviado ontem (5) ao STF. Com base nas provas apresentadas, a Procuradoria-Geral da República decidirá se denuncia Temer pela 3ª vez.

Já o Ministério Público de São Paulo apresentou à Justiça, ontem, uma ação de improbidade administrativa contra Alckmin.

Delatores da Odebrecht informaram terem feito pagamentos de R$ 7,8 milhões em dinheiro entre abril e agosto de 2014, destinados ao Caixa 2 da campanha estadual, em 2014. Ele nega.



Total de acessos: 218370

Visitantes online: 10