Carregando...

Publicidade

Presidenciáveis se reuniram, ontem à noite, para discutir suas propostas à Presidência da República durante evento transmitido pela TV Aparecida. (Foto: TV Aparecida)

Confronto na TV: Haddad vira alvo em seu 1º debate.

Candidato do PT teve de responder a questões sobre a escolha de Temer para a chapa de Dilma e o apoio de Lula.

21/09/2018

São Paulo. Tendo embates diretos com Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB), o presidenciável Fernando Haddad (PT) virou o principal alvo dos dois adversários durante seu primeiro debate na TV, realizado por emissoras de inspiração católica em Aparecida (SP), na noite de ontem. A organização do debate optou por sortear quem perguntava e quem respondia, ou seja, os candidatos não escolhiam seus interlocutores nos questionamentos.

Haddad vinculou Alckmin a Temer ao criticar a reforma trabalhista e o teto de gastos. O tucano, por sua vez, se posicionou favorável às mudanças trabalhistas e disse que quem escolheu Temer como vice foi o PT.

"Não precisaria de PEC do teto se não fosse o vale-tudo do PT (...) Quem escolheu o Temer foi o PT, ele era vice da Dilma. Aliás, reincidente porque escolheram o Temer duas vezes", declarou Alckmin, durante o debate.

Haddad rebateu dizendo que o PSDB "se uniu ao Temer para trair a Dilma". "Foi o PSDB que colocou o Temer lá".

O petista usou uma entrevista dada pelo ex-presidente do PSDB, Tasso Jereissati, dizendo que o ex-dirigente tucano reconheceu que o partido "sabotou" o governo Dilma. Alckmin declarou que Haddad estava "desvirtuando" as declarações e que a entrevista defendia uma autocrítica do partido. O tucano ainda atacou o PT pelo fato de a legenda ter lançado sua candidatura "na porta de penitenciária".

Perguntando a Haddad, Henrique Meirelles (MDB) citou Lula ao lembrar que foi escolhido por ele para presidir o Banco Central e disse que o governo Dilma Rousseff havia feito a confiança dos brasileiros cair.

Haddad rebateu: "Talvez o senhor tenha recuperado a confiança dos banqueiros da Faria Lima. Porque do povo esse governo não recuperou a confiança".

Meirelles afirmou que o petista "não entendia" que confiança é necessária para investimentos.

"Essa crise, candidato, talvez seja o caso de você se informar melhor, foi criada pelo governo Dilma". Haddad respondeu que "ingratidão" era um dos maiores "pecados" da política, citando feitos dos governos petistas.

Dobradinha

Já Ciro e Marina, como em debates anteriores, fizeram uma dobradinha para defender um novo modelo de atendimento na rede pública de Saúde e financiamento para distribuição de medicamentos de alto custo. Ciro chamou Marina de "estimável amiga" e elogiou o candidato a vice dela, Eduardo Jorge (PV).



Total de acessos: 217986

Visitantes online: 4