Carregando...

Publicidade

O zagueiro cruzeirense foi expulso na partida de ida contra o Boca Juniors, na Argentina. (Foto: AFP)

Liberado Para Jogar: Conmebol anula expulsão e Dedé fica livre para defender o Cruzeiro na Libertadores.

O zagueiro foi expulso na partida de ida contra o Boca Juniors, em lance dividida com o goleiro do clube argentino.

27/09/2018

Uma semana após a controversa expulsão de Dedé durante partida do Cruzeiro contra o Boca Juniors, a Conmebol decidiu anular o cartão vermelho e tornar o zagueiro apto a jogar a partida de volta das quartas de final da Copa Libertadores.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (26) via comunicado oficial da Conmebol. A entidade "anula os efeitos jurídicos da expulsão" de Dedé, que "por consequência, encontra-se habilitado para disputar a partida seguinte da Copa Libertadores".


Conmebol libera Dedé e zagueiro poderá atuar contra o Boca. (Foto: Divulgação)

Na última quarta (19), na Bombonera, Dedé foi expulso após chocar-se no alto com o goleiro Andrada, dentro da área. O árbitro Eber Aquino revisou o lance no VAR e, enquanto o argentino sangrava muito e recebia atendimento médico, decidiu expulsar o zagueiro cruzeirense. A colisão, contudo, foi acidental, apesar da lesão de mandíbula sofrida pelo goleiro.

No dia seguinte, o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e o supervisor administrativo, Benecy Queiroz, não voltaram para o Brasil e viajaram direto para Luque, no Paraguai. Lá, eles passaram o dia seguinte em reuniões com membros da Conmebol, dentre eles Alejandro Dominguez, presidente da entidade, antes de formalizar o pedido de anulação do cartão.

Ao fim daquela quinta-feira, o departamento jurídico do clube enviou os documentos necessários e protocolou a solicitação.

Esta é a segunda vez que a Conmebol anula uma suspensão por causa de um erro de arbitragem. A primeira vez também ocorreu em uma partida envolvendo o time mineiro. Na Libertadores de 2014, o árbitro Martin Vásquez apitou Cruzeiro e San Lorenzo, no Mineirão, e expulsou o meia Romagnoli após uma suposta agressão no boliviano Marcelo Moreno.

O clube argentino se classificou naquela ocasião, recorreu e conseguiu ter seu jogador nas partidas seguintes do torneio.

Cruzeiro e Boca Juniors voltam a se enfrentar no próximo dia 4 de outubro. Com a derrota por 2 a 0, o Cruzeiro precisa pelo menos devolver o placar para levar a decisão para os pênaltis. Vale lembrar que, diferente da Copa do Brasil, o gol fora de casa é critério de desempate na Libertadores.



Total de acessos: 239364

Visitantes online: 1