Carregando...

Publicidade

É a primeira vez que a moeda norte-americana encerra abaixo de R$ 4 desde o dia 20 de agosto deste ano. O dólar fechou a R$ 3,95 ontem. (Foto: Reuters)

Queda de 0,76%: Dólar fica abaixo de R$ 4 pela 1ª vez desde agosto.

Sem a divulgação de pesquisas eleitorais nessa quinta, a cena interna pautou menos o mercado financeiro.

28/09/2018

São Paulo. O dólar fechou o pregão de ontem (27) abaixo de R$ 4, reflexo da entrada de investidores estrangeiros no mercado doméstico. A Bolsa brasileira avançou mais que o exterior e fechou com ganhos de mais de 1%, em 80 mil pontos. A moeda americana terminou o dia em queda de 0,76%, a R$ 3,995. É a primeira vez que o dólar fecha abaixo de R$ 4 desde o dia 20 de agosto. Considerada uma cesta de 24 emergentes, o real foi a segunda que mais apresentou ganhos sobre o dólar, atrás apenas da lira turca.

Nas casas de câmbio da Capital, o dólar turismo para compra no papel moda podia ser visto na noite dessa quinta-feira a R$ 4,24 (Monde e La Moneta Câmbio) e R$ 4,25 (Sadoc Câmbio e Turismo). Já o dólar pré-pago rondava R$ 4,44, caso da Monde e da La Moneta Câmbio.

O estrategista da corretora do Santander, Ricardo Peretti, aponta que o fluxo de entrada de investidores estrangeiros começou na metade do mês e vem se sustentando desde então. Quando eles voltam ao país, trazem dólares, ajudando a valorizar o real. Em setembro até o dia 24, o saldo de estrangeiros na bolsa está positivo em R$ 1,2 bilhão.

Peretti aponta, no entanto, que o movimento não ocorre apenas para o Brasil, mas para outros emergentes como Turquia e Rússia. Ele associa a entrada a uma calmaria de investidores após a entrada em vigor de novas tarifas impostas pelo presidente americano, Donald Trump, a produtos chineses.

As taxas sobre US$ 200 bilhões (R$ 799 bilhões) em produtos entraram em vigor no dia 17 de setembro. "Minha impressão é de que o mercado chinês reagiu bem", afirma Peretti.

Cena doméstica

O mercado financeiro vinha mostrando forte resistência a Haddad, por considerá-lo o menos comprometido com reformas que consideram necessárias para o reequilíbrio das contas públicas. Sem divulgação de novas pesquisas eleitorais, o cenário doméstico pautou menos o mercado financeiro nessa quinta.

O Ibovespa avançou firme nessa quinta-feira, ganho de 1,71%, e fechou em 80.000 pontos. No exterior, os principais índices acionários também avançaram, mas com ganhos mais modestos. O índice Dow Jones subiu 0,21%, o S&P 500 ganhou 0,28% e o Nasdaq, 0,65%.



Total de acessos: 218461

Visitantes online: 5