Carregando...

Publicidade

Rogério Ceni e Muricy Ramalho conversaram muito no CT do Fortaleza. Lá, o ex-técnico e agora comentarista conheceu como o clube se renovou. (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Muricy Ramalho esteve em Fortaleza visitando Rogério Ceni.

Na passagem, conversou com o Diário do Nordeste e falou sobre seu novo momento de vida, a profissão de comentarista e, claro, sobre Seleção Brasileira. Ele ainda analisou o futebol cearense, em alta na sua percepção.

09/10/2018

Mais de 30 anos dedicados ao futebol e uma carreira consagrada, com quatro títulos brasileiros, uma Libertadores, entre outras conquistas como jogador e, principalmente, como treinador. Esse é Muricy Ramalho (62), que hoje em dia atua como comentarista dos canais Globo e Sportv.

De bem com a vida, o ex-técnico de São Paulo, Santos, Inter/RS, Fluminense e Náutico, entre outros clubes do futebol brasileiro, esteve na Capital cearense na última semana, para visitar seu pupilo dos tempos do Morumbi, o técnico Rogério Ceni, do Fortaleza, e conversou com a reportagem do Diário do Nordeste sobre um pouco da sua trajetória no esporte, Seleção Brasileira e momento do futebol cearense no cenário nacional.

O ex-meia do São Paulo já tinha em mente o que queria ao pendurar as chuteiras. E durante esse processo, uma figura foi essencial em sua nova profissão, como técnico de futebol. "Eu tive a felicidade do Telê (Santana) me convidar para ser o seu auxiliar. Ele foi tudo e fez a diferença na minha vida profissional. Foi quem me deu oportunidade, me ensinou o caminho e mostrou os valores. O Telê, além de ser um dos melhores técnicos do mundo tinha muitos valores como pessoa. Eu sempre quis ser muito parecido com ele. Claro que eu não queria terminar como ele, pois o futebol te cobra muito. E por isso, eu decidi parar com isso. Você tem que dar resultado o tempo todo. Isso para quem trabalha sério como ele trabalhava e eu também se torna complicado", disse.

Muricy não se distanciou do esporte ao deixar de ser técnico, pelo contrário. Passou a ser comentarista de futebol. E, por último, participou da cobertura da Copa do Mundo da Rússia. A nova fase profissional o ajudou a superar os problemas de saúde e de convivência com os familiares.

"O Muricy de hoje é muito mais tranquilo, pois não tenho aquela rotina do dia a dia, estou conhecendo e convivendo com novas pessoas. Tenho a liberdade de fazer a minha logística. Eu vivo uma outra fase, mas sempre dentro do futebol. Faço o que eu sempre gostei de fazer. Acabei de renovar contrato com a Globo por mais dois anos e estou super feliz", pontuou.

Evolução

O ex-técnico, agora comentarista, fez um balanço do momento do futebol cearense nacionalmente, tomando por base a boa campanha do Fortaleza na Série B, a reação do Ceará na Série A e o grande feito do Ferroviário, que surpreendeu na Copa do Brasil deste ano, avançando até as oitavas de final. Além disso, em seguida, conquistou o título de campeão brasileiro da Série D.

"Esse sucesso do futebol cearense mostra que a mentalidade está mudando, ou seja, o futebol não é feito para amadores. Se percebe que o lado profissional desses três clubes está sendo bem trabalhado. O futebol de hoje é muito competitivo e exige isso. Além de uma boa estrutura, tem que se estabelecer metas, objetivos e cobrar isso dos jogadores. Por isso eu acho que Ceará, Fortaleza e Ferroviário estão dando certo. E isso tem que servir de exemplo para todo o Nordeste", concluiu o comentarista dos canais Globo e Sportv.

Renovação

Quem viu de perto as atuações do Brasil na Copa 2018, como Muricy Ramalho, tem uma opinião formada quando o assunto é o futuro da Seleção. Para ele, a decisão pela renovação dos comandados do técnico Tite se faz necessária, depois da eliminação para a Bélgica.

"O Tite precisa estar atento, pois a partir de agora virá a cobrança, principalmente na Copa América, que se aproxima. A renovação é fundamental e faz parte disso. Claro que ele (Tite) não pode fazer uma renovação total, porque é complicado.

Marcelo Paz vai investir na estrutura do Leão

Marcelo Paz tomou posse como presidente do Fortaleza, na tarde de ontem, no CT Ribamar Bezerra para um mandato de três anos. Ele estava completando o mandato do ex-presidente, Eduardo Girão, que havia renunciado após o acesso à Série B. Paz disse que as principais metas de sua nova gestão são as seguintes: confirmar o sonho do acesso à Série A; lutar pelo título do Campeonato Cearense em 2019; fazer investimento nas categorias de base; avançar na área comercial, com o licenciamento de produtos; investir na estrutura do clube, especialmente do CT; renovar contrato com o técnico Rogério Ceni. Seus dois vices são Marcello Desidério e Rolim Machado.



Total de acessos: 218406

Visitantes online: 7