Carregando...

Publicidade

(Foto: JL Rosa)

Governo vai licitar gestão do Castelão para os próximos 20 anos.

A maior praça esportiva do Estado terá seu futuro definido nos meses seguintes. O Governo abrirá licitação para um novo gestor da Arena por mais duas décadas. Oito empresas devem disputar concessão do Gigante da Boa Vista.

10/10/2018

Os próximos 20 anos da Arena Castelão estão em pauta. Prestes a encerrar o contrato com LuArenas (empresa que atualmente administra a praça esportiva), o Governo do Estado já autorizou início do processo de licitação para uma nova concessão. É o fim de um primeiro contrato iniciado em 2011, que rendeu grandes jogos, shows memoráveis, mas também polêmica e reclamações de usuários.

De acordo com documentos disponibilizados pelo Estado para empresas interessadas e que o Diário do Nordeste teve acesso, o novo modelo de contrato tende a ser vantajoso para o Poder Público e a iniciativa privada. A licitação para a gestão, operação e manutenção da arena multiuso em regime de parceria público-privada (PPP) terá investimento do Estado no valor total de R$ 214,6 milhões em contrato de 20 anos. O valor será pago em prestações mensais de R$ 894 mil, totalizando R$ 10,73 milhões anualmente.

Atualmente, de acordo com o secretário de Esporte do Estado Euler Barbosa, oito empresas, inclusive com atuação em grandes centros como a Europa e que administram grandes arenas, devem participar da licitação. "Já tem quase um ano que estamos trabalhando nisso e queremos um contrato melhor. Preparamos um modelo de contrato que vai ser vantajoso para ambas as partes e principalmente para o futebol cearense", pontuou o gestor público.

Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) aponta que a administração do equipamento pela iniciativa privada livra o Estado de um gasto estimado em R$ 185,7 milhões com despesas operacionais (em 20 anos).

Perto do fim

O contrato entre Luarenas e Governo do Estado encerra em novembro deste ano. A empresa já demonstrou interesse em continuar gerindo o equipamento. A informação foi confirmada ontem pela assessoria de imprensa da Arena. As empresas que se interessarem pela nova administração estarão responsáveis também pela manutenção do estacionamento coberto, assim como o pátio externo do equipamento, com exceção do Edifício Sede e da Areninha. Poderão negociar o 'Naming Rights' (nome da Arena) com possíveis patrocinadores e serão avaliados pelo Estado em suas responsabilidades.

Até o fim deste ano, quando se encerra o contrato com a LuArenas, o Estado espera receber a Arena Castelão com tudo em perfeito estado, isso implica no conserto de cerca de 4 mil assentos que não estão disponíveis atualmente aos usuários da praça esportiva.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 218368

Visitantes online: 8