Carregando...

Publicidade

FHC fala, em entrevista, sobre pressão para apoiar candidato do PT ao Palácio do Planalto. (Foto: Arquivo/Diário do Nordeste)

Fernando Henrique critica o que chama de "coação" do PT por apoio ao candidato Fernando Haddad.

Em reação à entrevista do tucano ao "O Estado de São Paulo", Haddad fala em responsabilidade democrática para barrar eleição de Bolsonaro.

15/10/2018

"Se existe uma porta que precisa ser aberta em nome da democracia, todo mundo tem a obrigação de abrir essa porta". A afirmação é do candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, sobre declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em entrevista publicada neste domingo (14) no jornal "O Estado de São Paulo".

No texto, FHC ressalta que não é uma "porta aberta, mas há uma porta. O outro não tem porta. Um tem um muro, o outro uma porta". O ex-presidente diz que não aceita "coação moral" dos que agora buscam seu apoio. "Quando você vê o que foi dito a respeito do meu governo, nada é bom. Tudo que fizeram é bom. Quem inventou o nós e eles foi o PT. Eu nunca entrei nessa onda."

Segundo ele, "agora o PT cobra... diz que tem de (apoiar Haddad). Por que tem de apoiar automaticamente? Quando automaticamente o PT apoiou alguém? Só na vice-versa. Com que autoridade moral o PT diz: ou me apoia ou é de direita? Cresçam e apareçam. A história já está dada, a minha."

"Do meu ponto de vista pessoal, o Bolsonaro representa tudo que não gosto. Só ouvi a voz do Bolsonaro agora. Nunca tinha ouvido. Não creio que seja por influência do que ele diz ou pensa que votam nele. O voto é anti-PT. O eleitorado parece estar contra o PT. No olhar de uma boa parte dele, o PT é responsável pelo que aconteceu no Brasil, na economia, cumplicidade com a corrupção e etc", revela FHC.



Total de acessos: 237983

Visitantes online: 3