Carregando...

Publicidade

Juninho Quixadá perdeu boa chance de abrir o placar contra o Botafogo. (Foto: JL Rosa)

Ceará desperdiça pênalti e empata com o Botafogo no Castelão

Vovô joga melhor, perde muitas chances de gol, entre elas um pênalti, batido para fora por Arthur, e só empata com o Botafogo por 0 a 0. Resultado que o deixa na zona de rebaixamento, com 31 pontos, e um jogo a menos.

16/10/2018

Chances não faltaram para o Ceará vencer o Botafogo ontem no Castelão, pela 29ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro e deixar o Z-4. O Vovô foi muito superior, perdeu muitas chances de gol, entre elas um pênalti, batido para fora por Arthur, e só empatou com o time carioca em 0 a 0.

O resultado deixa o Ceará na 17ª colocação, abrindo a zona de rebaixamento, com 31 pontos (a 1 do Vitória, 16º), mas com um jogo a menos, que será contra o Cruzeiro, na próxima quarta-feira, no Mineirão. Mas antes disso, o Vozão joga no domingo, às 16 horas, contra o Palmeiras, também fora de casa, no Pacaembu.

O Ceará dominou amplamente o primeiro tempo. Com boa troca de passes e intensa movimentação do trio Juninho Quixadá, Calyson e Felipe Azevedo, e dos laterais Felipe Jonatan e Samuel Xavier, o Alvinegro envolveu o sistema defensivo do time carioca. E assim, as chances foram boas ao longo do primeiro tempo. Logo aos 6 minutos, Arthur deu passe para Felipe Azevedo, mas o chute saiu fraco.


Arthur lamenta gol perdido em cobrança de pênalti, na Arena Castelão, contra o Botafogo. (Foto: JL Rosa)

Com boa recomposição defensiva, o Ceará conseguia desarmar nas investidas do Botafogo e sair rápido ao ataque, como aos 11 minutos: Calyson tomou a bola de Lindoso, serviu Felipe Azevedo, mas mais uma vez o chute não foi forte o suficiente para vencer o goleiro Saulo.

Foi quando aos 17 minutos, Juninho Quixadá fez uma grande jogada pela direita, driblou dois marcadores, mas antes da bola chegar em Arthur, a zaga afastou o perigo.

Encurralado, o Botafogo não conseguia chegar ao ataque e a bola sempre voltava ao domínio alvinegro. Com isso, mais chances foram criadas, como a finalização perigosa de Felipe Jonatan, arriscando cruzado de trivela.

Foi quando aos 30 minutos, o Ceará teve sua melhor chance do jogo, em pênalti cometido por Lindoso em Juninho Quixadá. Mas Arthur bateu pra fora, frustrando a torcida alvinegra.

O pênalti perdido deixou o time alvinegro por alguns minutos com a guarda baixa, mas logo depois o time voltou a levar perigo ao gol do time carioca, com Juninho Quixadá fazendo grande jogada pela direita mas não conseguindo finalizar, com a zaga tirando.

No minuto final do 1º tempo, um lance polêmico: Calyson cruzou, Arthur tocou de calcanhar, a bola bateu no braço direito de Igor Rabello dentro da área, mas o árbitro nada marcou.

Mais chances

Se na etapa inicial só deu Ceará. O segundo tempo foi mais equilibrado, com o Botafogo iniciando melhor. Logo com 1 minuto, Rodrigo Pimpão cruzou, Kieza não conseguiu desviar e Éverson faz ótima defesa em bola perigosa. Cinco minutos depois, o Fogão chegou de novo, mas Gustavo Bochecha bateu cruzado para fora.

Antes dos 15 minutos, o técnico do Botafogo, Zé Ricardo, pôs o atacante Erik no lugar do volante Ricardo Bochecha, deixando o Bota mais ofensivo. Mas quem criou uma nova chance foi o Ceará, aos 20 minutos, mas o árbitro anulou corretamente o gol marcado por Juninho Quixadá, que estava impedido.

Precisando vencer para sair do Z-4, o técnico Lisca fez duas alterações no ataque aos 25 minutos: Felipe Azevedo saiu para a entrada de Ricardinho, e Arthur deixou o campo para Ricardo Bueno entrar.

Mesmo com um meia no lugar de um atacante, o Ceará não parou de criar chances de gol e aos 30 minutos, o Vovô só não abriu o placar devido a duas defesas incríveis de Saulo, primeiro em cabeçada de Ricardo Bueno, e no rebote a de Juninho Quixadá.

Nos 15 minutos finais, o Ceará continuou buscando o gol, mas deixando espaços para os contra-ataques do time carioca, que não aproveitava.

Assim, o Vovô teve a chance da vitória até o minuto final, mas Ricardo Bueno desperdiçou a última chance.

Em frente

Ao fim da partida, os jogadores do Ceará lamentaram o resultado pelas chances criadas, mas valorizaram a atuação, já pensando nos próximos jogos. "Foi o dia que a bola não entrou. Nós criamos muitas chances, mas o goleiro fez grandes defesas. Mas não podemos ficar lamentando e estamos no caminho certo. Agora, é pensar no Palmeiras", disse o zagueiro Tiago Alves.

Já o volante Richardson, acredita que o time merecia a vitória. "Um empate em casa nunca é bom. Principalmente quando criamos muitas chances. Mas faz parte, vamos pensar jogo a jogo e buscar pontos fora de casa", disse ele.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 237878

Visitantes online: 11