Carregando...

Publicidade

Presidente do PSL no Ceará, Heitor Freire chama Jair Bolsonaro de "pai". (Foto: Saulo Roberto)

Heitor Freire não adianta propostas, mas garante "atenção" ao CE.

Coordenador da campanha de Jair Bolsonaro no Estado, o presidente do PSL no Ceará reconhece que plano de governo do presidente eleito está baseado em "ideais", mas garante olhar voltado a questões como seca e segurança.

29/10/2018

O Ceará, nas palavras de aliados do novo presidente eleito, terá atenção especial no futuro Governo Bolsonaro. "Todos já sabem da esposa dele, que é descendente de Crateús", justifica o dirigente estadual do PSL, Heitor Freire, braço-direito de Jair Bolsonaro no Ceará, ao ser questionado sobre as pretensões do mandatário eleito em relação ao Estado.

O deputado federal eleito, no entanto, não detalha propostas de Bolsonaro para o Ceará, porque, segundo ele, o plano de governo apresentado pelo presidente eleito à Justiça Eleitoral, que estampa na capa das 81 páginas um versículo bíblico do livro de João - "E conheceis a verdade, e a verdade vos libertará" - está baseado apenas em ideais e valores. Ele diz que o militar reformado deve priorizar obras de combate à seca e também cortar cargos da União.

Heitor Freire conta que já conversou com o "pai" - como chama Jair Bolsonaro - sobre o Ceará e, segundo o dirigente do PSL estadual, o presidente eleito "quer resolver" o atraso das obras de Transposição das Águas do Rio São Francisco. "Ele, geralmente, menciona que Israel tem problema com a seca muito maior do que o semiárido nordestino e, com tecnologia, conseguiu alcançar e resolver esses problemas, então o Ceará vai ter, sim, atenção especial".

Obras e cargos

Segundo ele, Bolsonaro vai concluir "grandes obras" iniciadas no País. "Nesse momento, não posso lhe dizer se ele vai fazer isso em quanto tempo, mas Jair Bolsonaro já se comprometeu em concluir todas". Heitor destaca, ainda, que o novo Chefe do Executivo Federal estuda cortar cargos federais no Ceará, ocupados por indicação política, mas não soube dizer quantos.

"Tem muito cabide de emprego. Não terá isso em nosso governo, nós iremos valorizar o corpo técnico, nem que nós tenhamos que anunciar a disponibilidade de um cargo para recebermos currículo", menciona. Sobre uma das principais bandeiras de Bolsonaro na campanha, Heitor Freire diz que a segurança também vai ter uma "atenção especial".

Ao ser questionado sobre quais ações e projetos ele teria para essa área com foco no Ceará, porém, o correligionário informa apenas que o presidente eleito tem uma equipe lhe assessorando para tratar destes assuntos.

Oposição

"Já conversei com o Jair Bolsonaro e ele já se comprometeu em resolver essa problemática (da segurança), tudo isso aí já foi alinhado. Nós sabemos que os policiais precisam de melhores recursos, de melhores formas jurídicas para exercerem a sua função. A problemática (da segurança nacional) é a mesma (no Estado), não tem aparelho suficiente para o policial militar".

Ao votar em Fortaleza, ontem, Heitor Freire disse que o futuro Governo Bolsonaro não quer "nenhuma aproximação" com o governador Camilo Santana (PT) ou com o prefeito Roberto Cláudio (PDT). Ele refuta, contudo, possibilidade de que o eleito dificulte a destinação de recursos para o Ceará, governado pela oposição.

"Isso não vai bloquear qualquer conversa que seja boa para o Brasil. Nós estamos preocupados em resolver a problemática do Brasil. A nossa política é uma política de Estado, mesmo todos conhecendo a posição de Jair Bolsonaro de ser de direta e conservador".



Total de acessos: 235415

Visitantes online: 4