Carregando...

Publicidade

Eduardo Girão, Capitão Wagner e Hélio Góis, além de Heitor Freire, estão na linha de frente de Bolsonaro no CE. (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Apoiadores se fortalecem como líderes do Governo no Ceará.

Após a campanha eleitoral, figuras centrais no discurso pró-Bolsonaro ganham os holofotes e devem exercer a liderança do novo grupo que passa a comandar o Governo Federal a partir de 1º de janeiro de 2019.

29/10/2018

A eleição de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República tem reflexo direto sobre a cena política no Ceará. Isso porque ele coloca em evidência lideranças da oposição ao governo do Estado, que apoiaram o capitão reformado e se tornaram o braço-direito dele na disputa. Além do PSL, presidido pelo deputado federal eleito Heitor Freire, o PROS, do deputado Capitão Wagner, também ganha protagonismo junto à máquina pública federal e dão novo fôlego à oposição no Estado que saiu enfraquecida na eleição estadual.

Em fevereiro, Capitão Wagner, presidente do PROS no Estado, de olho na popularidade crescente do militar, acertou aliança com o PSL, mesmo havendo, nos bastidores, certo constrangimento por posicionamentos polêmicos dele.

Wagner, no entanto, foi uma das lideranças mais engajadas na campanha a favor de Bolsonaro no Ceará. Hoje, ele diz que mudou de pensamento depois de ter ido à casa dele no Rio de Janeiro e ter conhecido, pessoalmente, a família. O parlamentar defende que muitas falas de Bolsonaro foram "distorcidas pela mídia".

Senado

Além de Wagner, outro nome que sai fortalecido no cenário local é o de seu correligionário, o senador eleito Eduardo Girão (PROS) que, às vésperas da votação no primeiro turno, declarou apoio a Jair Bolsonaro. O posicionamento dele causou polêmica.

Mas foi o líder do movimento "Direita no Ceará", Heitor Freire, que mais saiu fortalecido da disputa nacional. O administrador de empresas saiu praticamente do anonimato para ser tratado como "filho" do presidente eleito, desde que se aproximou dele. Em poucos meses após se filiar ao PSL, Heitor foi alçado ao cargo de presidente estadual da legenda e foi eleito deputado federal em 2018.

Quando militava no movimento conservador no Estado, Heitor chegou a se hospedar na casa da familiares de Jair Bolsonaro. Hoje, ao encontrar o presidente eleito, é chamado de "cabra da peste" e se tornou o principal emissário de Bolsonaro no Ceará. Entre aliados, o dirigente estadual do PSL brada que será o maior "soldado" do militar eleito no Ceará.

O partido de Bolsonaro aqui elegeu, ainda, dois deputados estaduais, sendo um deles, o youtuber André Fernandes, com a maior votação na Assembleia Legislativa, neste ano. Também o advogado Hélio Góis (PSL), mesmo tendo sido derrotado na disputa ao Governo do Estado, é outro que sai fortalecido no Estado por ser um dos "soldados" da linha de frente de Bolsonaro.

Esse protagonismo dos aliados de Bolsonaro dá uma nova "cara" à oposição no Estado, que deverá ser reconfigurada nos próximos anos.



Total de acessos: 238034

Visitantes online: 9