Carregando...

Publicidade

Prefeito de Tianguá, José Jaydson Saraiva de Aguiar e vice, Mardes Ramos de Oliveira, ainda podem recorrer da decisão. (Foto: Prefeitura de Tianguá)

Prefeito e vice de Tianguá são cassados em menos de seis meses após eleição, mas seguem nos cargos.

Caso o Tribunal Superior Eleitoral confirme a decisão, novas eleições serão realizadas em Tianguá. Por enquanto, gestores continuam nos cargos.

31/10/2018

O prefeito de Tianguá, José Jaydson Saraiva de Aguiar, e o vice, Mardes Ramos de Oliveira, vitoriosos na eleição suplementar em junho deste ano, tiveram os diplomas cassados por unanimidade pela Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), em sessão realizada nesta terça-feira (30). Segundo o órgão, os gestores permanecem nos cargos até confirmação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em 22 de maio, um dia após o deferimento do registro de candidatura de José Jaydson e Mardes Ramos para as eleições suplementares do dia 3 de junho, o TRE-CE julgou Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE). Os juízes mantiveram pena de inelegibilidade por oito anos contra José Jaydson, por abuso de poder econômico e político, quando disputou as Eleições de 2016. Na sessão do dia 11 de junho, entretanto, o Tribunal entendeu que no momento do pedido de registro “não havia situação de inelegibilidade e, portanto, manteve válida a candidatura”.

Instabilidade

Tianguá passou por novas eleições após o indeferimento do registro de candidatura do então prefeito Luiz Menezes de Lima e do vice Aroldo Cardoso Portela, durante as Eleições de 2016. Menezes foi considerado inelegível em Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) de 2008, com base na Lei da Ficha Limpa.

Ainda cabe recurso em mais um caso de instabilidade em municípios do interior cearense. Caso o TSE confirme a decisão, novas eleições serão realizadas em Tianguá e os cerca de 45 mil eleitores precisarão retornar às urnas.



Total de acessos: 238060

Visitantes online: 6