Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Rodízio de atletas do Fortaleza é benéfico para Romarinho e Marlon.

Jogadores que não começaram bem a temporada de 2019 estão ganhando espaço no time e mostrando que podem ser úteis pela ascensão que têm apresentado dentro dos aspectos de modelo de jogo traçado por Rogério Ceni.

21/05/2019

O acúmulo de jogos do Fortaleza a cada três dias na temporada de 2019 está fazendo com que o técnico Rogério Ceni modifique a equipe a cada jogo, sendo entre seis e oito mudanças. O rodízio de atletas já fez com que alguns perdessem a posição, enquanto outros fossem beneficiados pela produção em campo.

Rogério já disse que procura incutir na mente dos atletas que todos se vejam como titulares, pois estão sempre atuando. Desta forma, alguns atletas estão sendo resgatados pelas chances recebidas.

O atacante Romarinho e o meia Marlon são jogadores que o técnico Rogério Ceni está redescobrindo em 2019 e dando-lhes incentivo. Outro atleta que ganhou mais consistência no seu trabalho em campo é o zagueiro Roger Carvalho, que era suplente em 2018. Romarinho e Marlon são dois jogadores táticos, que às vezes não aparecem para a torcida, mas que cumprem funções específicas ditadas pelo comandante Rogério Ceni.

O exemplo mais recente da utilização dos jogadores táticos foi na vitória do Leão sobre a Chapecoense, na Arena Condá, por 3 a 1, no último domingo (19).

O técnico do Fortaleza sacou Júnior Santos, que não estava bem no jogo, e colocou Romarinho, aos 35 minutos do primeiro tempo. Marlon entrou na vaga de Marcinho, aos 26 minutos da etapa complementar. Os dois cumpriram bem suas funções e o Tricolor saiu de campo com a primeira vitória fora de casa na Série A 2019.

No Brasileirão, alguns atletas estão um pouco esquecidos: o volante Derley e o lateral Bruno Melo, o volante Santiago Romero, habituado a disputar Taça Libertadores, entre outros. Na Primeira Divisão, Rogério já utilizou 20 jogadores na temporada.

O que diz Ceni

"Nós temos modificado cerca de seis ou sete jogadores por jogo, trocando 50% do time para que possamos utilizar os que estão em melhores condições, porque se não o adversário lhe atropela no aspecto físico", ressaltou o técnico do Leão, sobre as modificações.



Total de acessos: 254115

Visitantes online: 2