Carregando...

Publicidade

Eunício Oliveira. (Foto: Reprodução/CN7)

PGR diz haver provas contra Eunício em caso de propina para beneficiar empresa.

Órgão recomenda que o caso tramite na Justiça Federal de Brasília.

22/05/2019

A Procuradoria Geral da República recomendou ao Supremo rejeitar um pedido de Eunício Oliveira (MDB-CE) para arquivar investigação na qual é suspeito de receber R$ 2,1 milhões por atuar em favor de uma medida provisória que beneficiou a Braskem em 2013.

“O conjunto probatório colhido até então fundamenta a continuidade das investigações, porque formado de aportes das colaborações premiadas de José de Carvalho Filho e Cláudio Melo Filho, cujos termos são corroborados por evidências documentais que dão suporte à realização de pagamentos de vantagens indevidas destinadas ao agravante, afigurando-se bastante robusto à guisa de apontar a prática de crimes de corrupção e branqueamento de capitais”, diz o documento.

O órgão recomenda que o caso tramite na Justiça Federal de Brasília, já que o ex-senador perdeu o foro privilegiado.

Com informações O Antagonista.



Total de acessos: 254115

Visitantes online: 1