Carregando...

Publicidade

Rogério Ceni terá poucas opções para o ataque tricolor. (Foto: Kid Júnior)

Fortaleza vê reduzidas as opções de velocidade diante do Cruzeiro.

Com os atacantes Edinho e Wellington Paulista machucados e com Osvaldo expulso contra o Grêmio, Leão do Pici fica com poucas opções para manter o modelo de jogo contra o Cruzeiro, na quarta-feira (12), na Arena Castelão.

10/06/2019

O Fortaleza tem baixas no elenco para a partida da próxima quarta-feira (12), às 21 horas, na Arena Castelão, contra o Cruzeiro, pela 9ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. E essas baixas são tanto no ataque, em maior número, quanto na parte defensiva do time.

No ataque, o Leão do Pici já não conta com o atacante Edinho, que tem o prazo de três a quatro semanas para retornar às atividades; Wellington Paulista, com uma lesão na panturrilha, mas em processo de recuperação, e Osvaldo que foi expulso na derrota para o Grêmio, por 1 a 0, em Caxias do Sul (RS), pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Para completar as baixas, o zagueiro Roger Carvalho, com dores no músculo adutor da coxa, também deve ficar ausente. Ele deixou o campo de jogo, contra o Grêmio, ainda no primeiro tempo.

"Depois de 12 dias jogando quarta e domingo, você perde um jogador como o Osvaldo, nessa expulsão para a partida contra o Cruzeiro. Nós não temos esse número grande de atletas para poder mudar o jogo, então, pesa bastante ao longo do campeonato", comentou o técnico Rogério Ceni, após a partida.

Arbitragem

Tanto o presidente do Fortaleza Marcelo Paz, quanto o técnico, Rogério Ceni, criticaram muito a arbitragem de Sávio Pereira Sampaio, do Distrito Federal. Na ótica dos dois, ele teria prejudicado a equipe no confronto contra o Grêmio.

Inclusive, o clube vai entrar com uma representação contra o árbitro na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Rogério citou o exemplo do jogo contra o Botafogo, no qual houve um pênalti em cima de Wellington Paulista, que o VAR indicou, mas que o árbitro não atendeu.

E diante do Grêmio, onde o árbitro havia dado cartão amarelo para o atleta Osvaldo e ao ser chamado para uma revisão do lance no VAR, aplicou logo o cartão vermelho com a primeira imagem revista no monitor.

"Nós não guardamos qualquer tipo de inferioridade por ter vindo da Série C, ganho a B e subindo para a A, mas talvez o homem que corre no centro de campo, com a camisa diferente dos jogadores, não enxergue isso e veja com alguma inferioridade a nossa equipe. Quando esse homem da camisa diferente não quer, fica difícil vencer as partidas", disse Ceni.

Rogério disse que, após o jogo contra o Cruzeiro, a meta será repousar um pouco o elenco e buscar algumas contratações pontuais para fazer o time reagir na Série A.

Preparação

O elenco do Fortaleza desembarcou de quase duas semanas fora de casa para a disputa de três competições diferentes (Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série A do Campeonato Brasileiro.

A equipe do Tricolor do Pici volta com um retrospecto de uma vitória e três derrotas, mas sempre em partidas bem disputadas.

O Fortaleza volta aos trabalhos hoje mesmo, no CT Ribamar Bezerra, em Maracanaú, já de olho no jogo contra o Cruzeiro, na Arena Castelão.



Total de acessos: 251390

Visitantes online: 1