Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Ceará carece de referência no ataque neste início de Brasileirão.

Mesmo tendo mais finalizações que os adversários, Vovô tem balançado pouco as redes. Ricardo Bueno e Bergson têm decepcionado e Romário pode se tornar uma nova opção para o setor após retorno de contusão.

10/06/2019

As duas últimas partidas do Ceará na Série A do Campeonato Brasileiro evidenciaram um problema recorrente na equipe: o poder de decisão. A tônica de não finalizar bem acompanha o Alvinegro de Porangabuçu desde o início da temporada e faz a 11ª posição na tabela do certame, com 10 pontos conquistados, parecer pouco para o que é apresentado dentro de campo.

Contra Santos e Bahia, duelos realizados na Arena Castelão, o Vovô finalizou mais que os adversários e totalizou 35 arremates, mas não conseguiu balançar as redes.

O panorama é reflexo de uma estrutura de jogo que requer maior participação dos atacantes, que não marcam há cinco partidas - a última vez foi com Ricardo Bueno, na derrota, por 2 a 1, para o Atlético/MG. Atualmente, Ricardo Bueno perdeu a titularidade e sequer foi relacionado contra o Bahia.

Estratégia de jogo

Sob o comando de Enderson Moreira, o esquema 4-2-3-1 exige que o centroavante apresente maior mobilidade e possa atuar como falso 9, caindo pelas laterais. A estratégia destoa do que o time mais tem feito nas últimas partidas, que são os cruzamentos e as bolas alçadas na grande área.

"Estamos pecando no detalhe. É uma finalização que podia dar um passe para trás. Estamos precipitando em situações boas, mas isso é o tempo que vai mostrar a evolução cada vez maior", analisou Enderson Moreira, após a partida contra o Bahia, na qual o Vovô perdeu boas possibilidades de marcar.

Referência indefinida

Atual dono da posição, Bergson iniciou o Brasileirão no banco, barrou Ricardo Bueno e esteve presente em todas os jogos do Vovô na Série A do Brasileiro. Mesmo assim, ainda não desencantou com a camisa alvinegra. Com as atuações abaixo do esperado, o atleta viu a sombra dos concorrentes crescer e ganhar o fôlego novo de Romário, que mesmo com apenas três exibições na temporada, foi relacionado contra o Bahia e o substituiu no segundo tempo.

"Desde o começo do ano, sabia que iria ter minha oportunidade. No começo ou no fim, eu precisava estar preparado. É muito bom ver o carinho que todos tem por mim e isso me motiva muito. Nunca faltou força de vontade para vestir essa camisa. Se eu tiver oportunidade novamente de jogar, vou lutar, correr, e se for preciso tacar a cara na trave para fazer o gol, eu vou fazer", afirmou Romário.

Desafio no Rio

A próxima partida do Ceará é quinta-feira (13), às 19h15, diante do Vasco da Gama, em São Januário. O confronto, válido pela 9ª rodada do Brasileirão, marca o último jogo antes da parada para a Copa América, sediada no País. O técnico Enderson Moreira projetou dificuldades contra o time cruz-maltino, que venceu pela primeira vez na competição nesta rodada.

"O Vasco é um gigante do futebol brasileiro. A gente sabe que passa por dificuldades, principalmente financeiras, mas é o Vasco. Dentro de São Januário cria problemas para qualquer equipe. Mas a gente vai se preparar para conseguir um bom resultado", ressaltou o treinador.

O Ceará já treina hoje, no CT Cidada Vozão, em Itaitinga. É o primeiro treino antes da partida contra o Vasco da Gama, no Rio de Janeiro. O Vovô ocupa a 11ª coloção, com 10 pontos ganhos.



Total de acessos: 254115

Visitantes online: 1