Carregando...

Publicidade

Petrovic quer Brasil com mais energia contra os Estados Unidos. (Foto: Wang Zhao / AFP)

Brasil encara Estados Unidos por classificação em Mundial.

Seleção comandada por Aleksandar Petrovic precisa se superar para não ficar fora das quartas de final. Partida começa às 9h30 (de Brasília) de hoje, na China.

09/09/2019

Aleksandar Petrovic lamentou muito o que ele considerou "falta de energia" do Brasil na derrota para a República Tcheca, por 91 a 73, no último sábado, em Shenzhen, na China, pelo Mundial de Basquete. Mas para o jogo decisivo contra os Estados Unidos, às 9h30 (horário de Brasília) de hoje, com transmissão do SporTV, a postura terá que ser diferente.

A Seleção Brasileira entrará em quadra para jogar todas as suas fichas na competição. Com três vitórias e uma derrota no Grupo H, o Brasil precisa ganhar dos Estados Unidos para seguir vivo na competição. Contudo, apenas o resultado positivo não será suficiente para se classificar às quartas de final se a Grécia não vencer o selecionado tcheco, mais cedo, às 5h30 (de Brasília). Em caso de vitória da República Tcheca, a Seleção só ficará entre as oito melhores se bater a equipe de Gregg Popovich por 22 pontos de diferença.

Cestinha brasileiro com 12 pontos diante da República Tcheca, Vitor Benite falou que o time vem motivado após ter tirado lições da derrota do último sábado. "A pancada que a República Tcheca nos deu nos mostrou uma realidade na qual não podemos acumular emoções demais depois de cada partida. Eles foram superiores ofensivamente e defensivamente e mereceram a vitória", pontuou.

Para o ala brasileiro, só há uma possibilidade de esquecer a frustração por não ter garantido a classificação antecipada às quartas de final da Copa do Mundo da China.

"Da mesma maneira que se perde de 22 pontos um jogo, pode se perder de um ou se ganhar de 20, só que a cabeça tem que estar tranquila. Não podemos achar que esse é o Brasil, nós já mostramos nessa Copa do Mundo que temos potencial para irmos longe. Esse é o momento de nos unirmos. São nos momentos difíceis que um time tem que se fechar e mostrar confiança", pontuou.

Da mesma maneira, pensa Marcelinho Huertas, que já atuou em quatro mundiais pelo Brasil. "Temos que esquecer o quanto antes a derrota para a República Tcheca, trabalhar para não repetir os mesmos erros".



Total de acessos: 254114

Visitantes online: 1