Carregando...

Publicidade

Na Escola Matias Beck, no bairro Vicente Pinzón, a direção afirma que após o Ensino Integral, houve mudanças na escola e na comunidade. (Foto: José Leomar)

Uma em cada três escolas do Ceará é de tempo integral.

Das 716 unidades públicas, 228 funcionam na modalidade, incluindo as de Ensino profissional.

02/02/2018

Eduardo Dantas, de apenas 16 anos de idade, estuda no Liceu da Vila Velha, cursando o 2º ano do Ensino Médio e faz parte de um grupo especial dentro da rede pública do Estado. É um dos 76 mil jovens matriculados em unidades da Escola em Tempo Integral e, apesar de tão novo, conta que sua vida tem um antes e depois na sua formação. "Só quando entrei no Liceu entendi o privilégio de fazer o Ensino Médio em uma escola que de fato me dá condições de não sonhar, mas acreditar ser possível realizar sonhos", afirma com orgulho. O sentimento do rapaz tem razão de ser. No Ceará, uma em cada três escolas da rede cearense ofertará o Ensino Médio em Tempo Integral neste ano.

São 228 de um total de 716 unidades. "No País, a gente só perde para Pernambuco que tem 50% de sua rede", afirma o titular da Secretaria de Educação do Estado, Idilvan Alencar. Na visão do governador Camilo Santana, a proposta da escola em tempo integral é garantir proteção a juventude e mantê-la em aprendizado. "Com oportunidades e longe do crime. Esse é o principal caminho para a gente enfrente a violência", analisa, acrescentando que o Ceará iniciou a implantação das escolas em tempo integral em 2016, com 26 unidade.

São 228 de um total de 716 unidades. "No País, a gente só perde para Pernambuco que tem 50% de sua rede", afirma o titular da Secretaria de Educação do Estado, Idilvan Alencar. Na visão do governador Camilo Santana, a proposta da escola em tempo integral é garantir proteção a juventude e mantê-la em aprendizado. "Com oportunidades e longe do crime. Esse é o principal caminho para a gente enfrente a violência", analisa, acrescentando que o Ceará iniciou a implantação das escolas em tempo integral em 2016, com 26 unidade.

Adequação

Cada uma vai contar com centrais de ar-condicionado, armários tipo roupeiro, refeitórios, freezeres, geladeiras, balcões térmicos, bebedouros, fogões, liquidificadores tipo industrial e semi industrial, além de carteiras universitárias, computadores e projetores de multimídia.

Todas passam por processos de adequação, essenciais para conversão ao modelo e ensino, como reformas de vestiários e refeitórios. Elas estão localizadas em 21 municípios, dos quais ofertarão o Ensino Médio em tempo integral pela primeira vez. Neste ano, já são 44 municípios com EEMTIs, beneficiando diretamente 26 mil alunos. "Eles se somam aos 50 mil alunos da escola profissionalizantes e de tempo integral", indica o secretário Idilvan Alencar.

A oferta do Ensino Integral começa a partir da 1ª série do Ensino Médio e a expansão ocorre gradualmente para as próximas séries. Cada escola oferta uma jornada de nove horas, garantindo três refeições diárias.

O currículo é composto por 30 horas semanais da base comum a todos e 15 horas na parte flexível, sendo que dez são escolhidos pelos alunos. "Essa ampliação da jornada escolar converge com o papel de todos os envolvidos no processo educacional, além do aluno: família, professores, funcionários e comunidade", comenta o secretário Idilvan Alencar.

Alerta

Para o Mestre em História e professor de História e Sociologia, Eustáquio Alvarenga Júnior, a escola em tempo integral é importantíssima para a melhoria da qualidade do ensino público. Mas, alerta: que para tornar e escola de tempo integral viável é necessário um investimento vultoso nas instalações físicas das escolas. "Não adianta, como num passe de mágica, querer manter os estudantes o dia todo num ambiente que não possui atividades nem atrativos para o adolescente", diz.

A educadora e diretora da Escola Matias Beck, localizada em uma das áreas mais vulneráveis de Fortaleza, o Vicente Pinzón, Virgínia Vilagran, aponta que o investimento nesse tipo de unidade não tem reflexo positivo apenas na qualidade da educação e sim na comunidade. "Oferece oportunidade para o jovem de realizar projeto de vida, ficar longe da criminalidade e multiplicar a certeza de que é possível para toda a comunidade onde mora". A unidade que dirige é exemplo. Quem chega ali, logo observa a mudança a partir do muro, todo limpo", comenta.

Receberão novas unidades de ensino de tempo integral os seguintes municípios: Fortaleza (14), Maracanaú (4), Crato (2), Pacatuba (2), Caucaia (2), Aquiraz, Eusébio, Itaitinga, Maranguape, Itapajé, São Gonçalo do Amarante, Pentecoste, Carnaubal, Viçosa do Ceará, Acarape, Limoeiro do Norte, Independência, Iguatu, Lavras da Mangabeira, Juazeiro do Norte, Caririaçu.



Total de acessos: 124300

Visitantes online: 16