Carregando...

Publicidade

O emedebista esteve, na sexta-feira, em Cabrobó, no sertão pernambucano, onde começou a funcionar a segunda estação de bombeamento do Eixo Norte. (Foto: PR)

Temer inaugura obra em clima de constrangimento, por citações a Lula.

Presidente prometeu autorizar estudos sobre integração da bacia do São Francisco com a bacia do Tocantins.

03/02/2018


Cabrobó. Obrigado a ouvir o nome do ex-presidente Lula no palanque em Cabrobó (PE), durante cerimônia de Inauguração da 2ª Estação de Bombeamento do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, que trará água para o Ceará, o presidente Michel Temer (MDB) disse, na sexta, que encerrou a cultura política brasileira de paralisar obras de governos antecessores - e que também quer ser lembrado pelos projetos que iniciou no Nordeste.

"Estamos dando sequência a essa extraordinária obra, que começou lá atrás e continua com empenho de todos nós", disse, sem citar o nome do petista ou de sua sucessora, Dilma Rousseff. "Tive o prazer de em um ano de oito meses de governo romper com a cultura, muito tradicional na atividade administrativa, de não manter obras adequadas", completou.

Temer afirmou que assim que voltar para Brasília vai assinar a autorização para que se iniciem os estudos para a integração da bacia do São Francisco com a bacia do Tocantins. Segundo Temer, esse projeto de integração entre as bacias deve ser concluído em quatro ou cinco anos e permitirá que sirva como seu legado. "Espero que daqui a uns anos, lá pra frente, alguém venha aqui nesta tribuna e diga 'foi o Temer que começou', 'foi o Temer que pacificou a questão aquífera no Nordeste'".

Antes de discursar, Temer ouviu do palanque diversas citações ao ex-presidente Lula, que iniciou a obra. "Quero agradecer ao presidente Lula, que iniciou essa obra", afirmou, por exemplo, o prefeito de Cabrobó (PE), Marcílio Cavalcanti (MDB). Temer disse ainda, na sexta, que espera decisão do STF sobre a posse de Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho.

Ele defendeu que as reformas promovidas já causaram efeitos positivos na economia.

Candidatura própria

Em entrevista exibida por uma emissora de TV, Temer evitou dizer se será ou não candidato à reeleição este ano e limitou-se a afirmar que vai examinar essa questão em junho, às vésperas do início do prazo para registro de candidaturas.



Total de acessos: 216817

Visitantes online: 6