Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução)

Clássico-Rei: chegou a hora de ver quem é quem.

Fortaleza e Ceará medem forças, pela primeira vez, no Estadual 2018 e terão oportunidade de realizar teste real de seus elencos, que nortearão ações no início da temporada. Números apimentam partida e acirram rivalidade entre os maiores do Estado.

03/02/2018


Finalmente chegou a hora que o torcedor cearense tanto esperava: o primeiro encontro de 2018 entre os dois maiores clubes do Estado, o famoso Clássico-Rei entre Fortaleza e Ceará. Os ferrenhos rivais duelam neste domingo, às 18 horas no Castelão, em jogo pela 6ª rodada da 1ª Fase do Campeonato Cearense, em jogo cercado de expectativas pelos resultados da temporada anterior.

Animados por seus acessos em 2017, o Vovô para a Série A e o Leão para a Série B, o clássico ganha um contexto especial, devido aos rivais estarem mais fortes que em anos anteriores, já que será a primeira vez desde 2006, que teremos um encontro entre um integrante da elite nacional, o Vovô, e outro da Série B, o Leão. Naquele ano, o Tricolor de Aço estava na Série A e o Vovô na Série B.

Depois disso, os dois clubes se alternaram em outras divisões - o Ceará nas Séries A (2010 e 2011) e B (de 2007 à 2009 e de 2012 à 2017) e o Fortaleza na B (de 2007 à 2009) e C (de 2010 à 2017) - mas nunca ao mesmo tempo nas duas maiores divisões do futebol brasileiro.

As ascensões de Leão e Vovô representaram investimentos nas formações de suas equipes, aumentando a expectativa pelo desempenho de ambos no Campeonato Cearense. E depois de cinco jogos para cada um no Estadual, finalmente as torcida presenciarão um embate direto, um teste real para seus elencos no início da temporada.

Além de medir as forças de seus times, existe outra motivação para o Clássico-Rei. Para o Leão, é a manutenção de um tabu, já que não perde para o rival há sete jogos: são três vitórias e quatro empates. Para o Vovô, que venceu o Leão pela última vez em no fim 2015 em um 4x1 pela Taça Fares Lopes, a motivação é quebrá-lo. O último grande tabu do Vovô foram 13 jogos sem perder para o Leão, entre 2012 e 2015.


(Foto: Reprodução)


Jogo grande

Dois protagonistas do clássico, os treinadores Rogério Ceni pelo Fortaleza e Marcelo Chamusca pelo Ceará, destacaram a importância do jogo.

Rogério, que já disputou como jogador incontáveis embates pelo São Paulo contra Corinthians, Palmeiras e Santos, além de alguns pelo Tricolor Paulista como técnico em 2017, fará seu primeiro Clássico-Rei. "Não chegamos no ponto ideal do time, mas se analisar pelos dois primeiros jogos, vemos um futebol melhor. Mas clássico não se joga, se ganha. O Ceará tem muitas alternativas, tem praticamente dois times. Eu vejo o Ceará um pouco a frente nesse sentido, mas dentro de campo vamos fazer nosso melhor para ter a vitória", garante Ceni.

Já Marcelo Chamusca, que treinará o Ceará pela 1ª vez contra o Fortaleza, já tem experiência em Clássicos-Rei, mas dirigindo o Tricolor contra o Vozão, destacou. "É uma atmosfera que eu conheço bem. Participei várias vezes e em competições diferentes, como Copa do Nordeste e Estadual, e sei bem o que é a representatividade deste jogo. O clássico é um jogo de detalhe, de um nível de concentração muito alto, espírito vai pesar muito, e vamos preparados".



Total de acessos: 177131

Visitantes online: 35