Carregando...

Publicidade

Com o acréscimo, o excedente da população carcerária chegou aos 63% nas grandes unidades, como os presídios em Itaitinga. (Foto: Kid Júnior)

No Ceará: População carcerária chega a 28.151 e atinge recorde.

10/02/2018

O Sistema Penitenciário cearense finalizou o mês de janeiro deste ano com população carcerária de 28.151. Entre pessoas em regime fechado, semiaberto e aberto, segundo boletim da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus). Este é o maior número de internos já registrado.

O levantamento mensal feito pelo Núcleo de Estatística, Informações Penitenciárias e Segurança Tecnológica da Pasta aponta que no último mês, 1.459 pessoas ingressaram nas cadeias e presídios do Estado e 690 saíram. Com o acréscimo, o excedente da população carcerária chegou aos 63% nas grandes unidades.

A divisão por regime mostra que maior parte dos detentos é provisório. Dos pouco mais de 28 mil, 13.792 internos sequer foram julgados e sentenciados. A demora pelas audiências faz com que as cadeias públicas também fiquem superlotadas. Neste tipo de equipamento, o excedente chega a 140%.

Conforme a Polícia Civil, foi a superlotação de detentos que resultou na Chacina de Itapajé. A 130Km de Fortaleza, 10 presos morreram dentro do equipamento vítimas de um confronto entre organizações criminosas rivais. Os problemas encontrados no cárcere também incluem infraestrutura precária e déficit no efetivo de servidores.

A investigação acerca da chacina na Cadeia Pública de Itapajé também revelou que apenas um agente penitenciário era responsável pela segurança de todo o prédio. Duas armas de fogo e duas facas foram encontradas na Cadeia após as mortes. De acordo com a Polícia, as armas foram levadas para o local por uma adolescente, enquanto o servidor descansava.