Carregando...

Publicidade

O Corpo de Bombeiros controlou o fogo por volta das 19 horas. (Foto: Reprodução)

Em Fortaleza: Incêndio atinge 90% do Centro de Triagem dos Correios.

Além de cartas, sedex e encomendas para Fortaleza, unidade atendia outras cidades do Nordeste.

14/02/2018

Um incêndio de grandes proporções atingiu 90% do Centro de Triagem de Cartas e Encomendas (CTCE Fortaleza) dos Correios localizado na Avenida Oliveira Paiva, na zona sul de Fortaleza. Não houve feridos.

De acordo com comunicado dos Correios, feito por meio de nota, por volta das 16 horas um vigilante da empresa, única pessoa que estava de plantão no local, numa guarita externa, percebeu o início do incêndio e acionou o Corpos de Bombeiros.

O CTCE é responsável pela triagem das cartas e encomendas que são entregues pelas unidades de distribuição da empresa no Ceará e em outros estados, como Piauí. Também encaminha os objetos postados no Estado com destino a outras regiões. O Galpão ocupa uma área de cerca de 10 mil m².


A nuvem de fumaça pôde ser vista de vários pontos da Cidade. (Foto: Natinho Rodrigues/VC Repórter)

Bombeiros

O coronel Heraldo Maia Pacheco, comandante geral do Corpo de Bombeiros, falou com a imprensa e segundo ele, às 18h50 o fogo já havia sido controlado, mas os homens continuavam no local para finalizar a operação, de forma devagar e prudente por conta da falta de energia e desconhecimento da planta.

Somente após o incêndio ser apagado 100% é que a perícia forense vai ao local para identificar as causas. O oficial disse que não existia previsão de término da operação. Questionado sobre a manutenção dos hidrantes no local, o coronel disse que "no início usou-se a canalização preventiva, mas a água acabou". Atuaram na operação cerca de 40 bombeiros em 10 guarnições, sendo sete de combate ao incêndio", disse o coronel.

O fogo consumiu boa parte do teto do galpão C da CTCE, que desabou e destruiu, além do setor de triagem, a parte administrativa dos Correios. Não chegou a atingir a mata que existe nos arredores do prédio e não alcançou cerca de 15 vans que encontravam-se no estacionamento.

O coronel afirmou que no galpão haviam muitas carta e alguns produtos eletrônicos. Ainda na nota os Correios disseram que "a empresa esclarece ainda que irá realizar o levantamento da carga postal destruída e, para efetuar as devidas indenizações, faz-se necessário aguardar os resultados das perícias técnicas que serão realizadas pelas autoridades". Mas não detalhou quando e como o ressarcimento será feito, mas manterá os clientes informados.

Funcionários

No local muitos curiosos e funcionários dos Correios, que tiveram acesso livre próximo ao prédio, estavam desconsolados. Gerson Saraiva, que trabalha no setor de triagem, disse que tudo queimou, as máquinas, as cartas os boletos. "Muita coisa de valor. A diretoria está reunida para saber o que vai fazer com as encomendas que vão chegar na quarta-feira (hoje)", dizia preocupado.

As opções em discussão eram levar para outras unidades em Fortaleza ou mesmo para outras capitais como Recife.



Total de acessos: 237875

Visitantes online: 9