Carregando...

Publicidade

O deputado Raimundo Matos diz ter alertado, em 2017, sobre manobra prejudicial ao Estado. (Foto: Agência Câmara)

Bancada do Ceará faz crítica a corte de recursos para o Cinturão das Águas.

16/02/2018

Brasília/Sucursal. A redução no repasse de recursos para o Cinturão das Águas, anunciado pelo Ministério da Integração Nacional na última semana, surpreendeu os parlamentares cearenses, preocupados com a situação hídrica no Estado.

O projeto que já está com 50% executado sofreu uma redução no Orçamento de 54,65% e irá receber apenas R$ 95 milhões neste ano, enquanto que em 2017 o investimento chegou a R$ 209, 5 milhões.

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB) lembrou que já vinha alertando, desde dezembro de 2017, sobre a manobra que a bancada baiana realizou na Comissão Mista de Orçamento (CMO). Ele explicou que do montante previsto para o Estado do Ceará, R$ 183 milhões foram remanejados para obras hídricas na Bahia.

Para o deputado André Figueiredo (PDT), houve uma falta de força política dos parlamentares ligados ao presidente Michel Temer na liberação dos recursos.

Segundo o deputado José Guimarães (PT), o corte deve causar um forte impacto na questão hídrica do Ceará. "Vamos mobilizar a bancada do Nordeste e do Estado, pois essa é uma obra que se casa com a Transposição do São Francisco", disse.

Contudo, na avaliação do presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (MDB), não houve corte de recursos para o Cinturão das Águas apenas um remanejamento de "prioridades" no Orçamento.

Colaborou Carolina Curvello



Total de acessos: 235218

Visitantes online: 3