Carregando...

Publicidade

A barragem de Carnaubal, na Região Norte, que estava seca, já começou a transbordar após sete anos. (Foto: Carlinhos Araújo)

Chuvas trazem esperança e transtornos em várias cidades.

A previsão da Funceme é de mais chuva para esta sexta-feira e sábado em todas as regiões do Estado.

16/02/2018

Iguatu. As últimas chuvas acima de 100 mm que banharam todas as regiões do Ceará renovaram a esperança dos agricultores, encheram riachos e açudes particulares de pequeno porte, iniciaram a recarga de alguns reservatórios. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou entre as 19 horas desta quarta-feira, 14, e 7 horas da manhã de ontem, chuva em 157 cidades. As cinco maiores foram observadas em São Luís do Curu (131mm), Irauçuba (124mm), Amontada (119mm), Aquiraz (110mm) e Itaitinga (105mm).

As precipitações, entretanto, trouxeram transtornos para moradores da cidade de Irauçuba, na Região Norte. Pelo menos oito famílias foram desalojadas, uma casa caiu, outra está ameaçada de desabar e mais oito estão comprometidas.

Várias cidades registraram pontos de alagamento e infiltrações em prédios públicas e residências desde a última segunda-feira, 12. É a maior quantidade de municípios já banhados na atual quadra chuvosa em um único dia. Foram pelo menos seis precipitações acima de 100mm. As chuvas dos últimos três dias foram provocadas por atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) - extensa massa de nuvens e principal sistema indutor de pluviometria durante a quadra invernosa no Ceará.

Neste mês, que é o primeiro da quadra chuvosa (fevereiro a maio), até ontem já havia sido registrado em média, no Ceará, 109.7mm. A média é de 118.6, ou seja já havia chovido 92.4% do esperado para o período.

Houve um salto significativo nas últimas 48 horas. A Funceme vai divulgar no próximo dia 20, a segunda previsão para o trimestre (março, abril e maio). As condições do Oceano Atlântico continuam favoráveis e a tendência é de maior concentração de pluviometria no litoral e Zona Norte do Estado.

O meteorologista da Funceme, Raul Fritz, confirmou que as últimas precipitações foram provocadas pela atuação isolada da ZCIT. "O sistema está ativo, em posição favorável, próximo à costa do Ceará e do Rio Grande do Norte, formando nuvens de chuva", explicou. "A previsão é de mais chuva para esta sexta-feira e sábado em todas as regiões do Estado".

A barragem de Carnaubal, na Região Norte, que é ponto de atração turística, estava seca, mas anteontem à noite começou a transbordar para alegria dos moradores e agricultores. Há sete anos, que o reservatório não transbordava.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Estragos

Na cidade de Irauçuba a chuva de 124mm que durou cerca de três horas na noite dessa quarta-feira deixou estrago no bairro Gil Bastos. É uma área periférica, próxima a um riacho. Sem saneamento, a água provocou pontos de alagamento, derrubou uma casa, outra está ameaçada de ruir e há danos em pelo menos mais oito moradias.

De acordo com a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) de Irauçuba, as oito famílias foram colocadas em casas alugadas pela Prefeitura, por meio da secretaria de Ação Social. "É provável que esse número de famílias atingidas pelo temporal aumente e estamos vendo a possibilidade de utilizar uma escola que está desativada", observou o coordenador da Comdec, Ricardo Azevedo.

Na tarde de ontem, técnicos da Comdec e das secretarias municipais de Infraestrutura e Ação Social realizaram o trabalho de levantamento da situação das casas atingidas pela intensa chuva. Operários da secretaria de Infraestrutura intensificaram o trabalho de limpeza de bueiros, esgotos, canaletas para escoamento da água.

"Começamos a trabalhar ainda durante a chuva, na noite da quarta-feira, tentando dar escoamento das águas pluviais, fazendo um serviço paliativo de abertura de valas, calçamento", contou o secretário de Infraestrutura, Souza Júnior. "A chuva foi uma surpresa, a maior já registrada, e ficou na história". Irauçuba é uma cidade conhecida por ser seca, mas a enxurrada surpreendeu a todos, segundo o radialista, Jô Pinheiro. "Muitas famílias perderam móveis e não houve vítimas porque os moradores saíram logo das casas".

Sem drenagem adequada, houve inundação de ruas e de casas. Muitos móveis e eletrodomésticos foram molhados e estragados. Mais de 20 casas no bairro Gil Bastos foram atingidas pela enxurrada. "A água entrou com tudo, foi rápido, alagou as casas", contou a doméstica, Francisca Oliveira. "Muitos moradores tiveram os móveis estragados". Ontem foi dia de limpeza das casas e dos utensílios domésticos.

Infiltração

Na cidade de Nova Russas, houve infiltração no Hospital José Gonçalves Rosa decorrente da chuva na última quarta-feira, 14. Uma enfermaria ficou alagada. A unidade de Saúde divulgou nota esclarecendo que a estrutura física do prédio é antiga e que há vários anos não passa por reforma, mas que serviços de restauração serão iniciados, após pendência de posse do imóvel for resolvida.

Nas últimas 48 horas, riachos e açudes particulares de pequeno porte em fazendas registraram cheias e sangria. Houve aporte em pelo menos 10 médios reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), mas a situação hídrica ainda continua crítica no Ceará. Açudes estratégicos como Orós e Castanhão precisam de chuvas no alto das Bacias Hidrográficas do Rio Jaguaribe (Inhamuns) e do Salgado (Cariri).

Anteontem, em Lavras da Mangabeira, o Rio Salgado registrou uma primeira e pequena cheia. Já na Zona Norte, o reservatório Ipuzinho, no distrito de Oliveira, zona rural de Tamboril, foi o primeiro a transbordar no município. Os moradores que sofrem com a estiagem há mais de seis anos, comemoraram.

Em Monsenhor Tabosa, houve registro de arrombamento de um açude particular, na localidade de Borgado. A barragem apresentava fissuras e não resistiu à força da água.

Inhamuns

Na região dos Inhamuns, nos municípios de Tauá e Aiuaba, riachos e pequenos açudes tiveram cheia. Nos distritos de Marruás, Inhamuns e Monte Alverne houve sangria de pequenos reservatórios. O mesmo ocorreu em Vila Santo Antônio, Batalha, Porões e Vila Carrapateiras.

O riacho afluente do açude Favelas está cheio. O Riacho da Cruz, que deságua no Rio Jucá, afluente do Jaguaribe, também está repleto.



Total de acessos: 237689

Visitantes online: 6