Carregando...

Publicidade

Francisco de Assis Diniz, presidente do PT, diz que Camilo "não vai ficar como fantoche" no pleito. (Foto: Reinaldo Jorge)

Alianças: Cearenses vão participar do próximo encontro nacional do PT.

20/02/2018

Na próxima sexta-feira, a executiva nacional do PT fará reunião para dar início às negociações para o pleito nos estados. Os cinco governadores do partido, dentre eles Camilo Santana, terão total liberdade para fechar alianças. No Ceará, o chefe do Poder Executivo está cada vez mais próximo do senador Eunício Oliveira, do MDB, e tem como principais aliados os irmãos Cid e Ciro Gomes. Este, pré-candidato à Presidência pelo PDT.

Integrantes da executiva estadual do partido participarão do evento, mas o governador só estará presente em outro encontro, este do diretório nacional, na segunda quinzena de março. "Nós vamos registrar o nome do Lula, ele preso ou não. É Lula lá e Camilo cá", disse o presidente do partido no Ceará, De Assis Diniz.

De acordo com ele, as declarações e movimentações que o governador Camilo Santana tem adotado indicam que ele deve estar ao lado de uma candidatura petista ao Palácio do Planalto. No entanto, conforme o Diário do Nordeste divulgou no fim de semana, somente o nome do presidenciável Ciro Gomes, do PDT, deve ser defendido em palanques de Camilo no Ceará.

Autonomia

"O Lula será nosso candidato, ele terá seu (pedido de) registro de candidatura no dia 15 de agosto. Vamos registrar, ele preso ou não. Se tiver qualquer questão contestando, nós vamos recorrer ao TSE, ao STJ, e isso deve levar uns 30 a 40 dias".

No que diz respeito ao posicionamento do governador Camilo Santana, De Assis Diniz afirmou que o chefe do Poder Executivo assumiu autonomia e personalidade nos últimos anos e "não vai ficar como fantoche nas mãos de alguém. As decisões passam, hoje, pelo Camilo".

O deputado Elmano de Freitas corroborou com o presidente do partido quanto à candidatura de Lula. No que diz respeito ao Ceará, o petista é defensor da tese de que a legenda siga na disputa proporcional de forma isolada, afirmando ser preciso manter a candidatura de Camilo e buscar melhor estratégia eleitoral que fortaleça o PT e a esquerda estaduais.

Para o deputado Moisés Braz, o palanque no Ceará deverá ter Lula como postulante à Presidência e não Ciro Gomes. "Cremos que isso não deve se concretizar, da mesma forma como vimos no começo do atual Governo, quando se dizia que o Camilo deixaria o PT", disse. De acordo como o parlamentar, o objetivo da legenda é fortalecer as bancadas nos legislativos e ampliar o foco na candidatura à reeleição do governador. "O Lula é a única alternativa capaz de reverter os retrocessos que Temer e sua turma submeteram o País. O PT não trabalha com a hipótese de um plano B", sentencia.



Total de acessos: 234975

Visitantes online: 13