Carregando...

Publicidade

Cabo Sacs vai ampliar a velocidade de troca de dados entre os continentes a partir da conexão ao Data Center, que está em construção em Fortaleza. (Foto: José Leomar)

Fibra Ótica: Angola Cables: cabo Sacs chega a Fortaleza amanhã.

O equipamento, que possui 6 mil quilômetros de extensão, é o primeiro a ligar a África à América do Sul.

20/02/2018

A instalação do cabo de fibra ótica Sacs (South Atlantic Cable System) pela empresa Angola Cables na Praia do Futuro, em Fortaleza, terá início amanhã (21). Vindo de Luanda, capital da Angola, o cabo ampliará a velocidade da troca de dados entre os continentes a partir da conexão ao Data Center de Fortaleza, cujas obras devem ser concluídas ainda no primeiro semestre deste ano, prazo esperado também para o início da operação do cabo.

Para marcar a chegada do Sacs, o CEO da Angola Cables, António Nunes, virá amanhã a Fortaleza para falar sobre o empreendimento, o principal da companhia no País, bem como seus benefícios sociais, tecnológicos e financeiros para as regiões envolvidas, que deverá tornará a cidade um hub internacional de telecomunicações. Também devem estar presentes o governador Camilo Santana e o prefeito Roberto Cláudio.

Cerca de 70% da primeira fase do Data Center já foi vendida. "Essa fase está com muita aceitação. As três seguintes serão feitas conforme a demanda. Mas como temos ainda uma grande carência de data centers, principalmente no Nordeste, podemos iniciar a segunda fase logo após a conclusão da primeira. Ainda estamos fazendo estudos", disse Rafael Pistono, CEO da Angola Cables Brasil, ao Diário do Nordeste no último dia 6.

O Sacs, o primeiro a ligar a África à América do Sul, será o segundo cabo da empresa em operação na Capital. O cabo Monet, projetado pela empresa africana juntamente com o Google, Antel e Algar Telecom, já está em operação, conectando Santos (SP), Fortaleza e Miami, nos Estados Unidos. Ao todo, a empresa está investindo entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões na instalação de cabos e equipamentos e na construção do Data Center na Capital.

Hub

O Data Center e os cabos de fibra ótica vão ajudar a alavancar a implantação do Polo Tecnológico de Fortaleza e, como consequência, gerar empregos e contribuir com o desenvolvimento socioeconômico e educacional da região, além do crescimento da economia digital de Fortaleza e do Ceará como um todo. O equipamento contribui ainda para atrair novos investimentos e novos negócios para a cidade.

Segundo a Angola Cables, a troca de dados intercontinentais passará a ser mais rápida, levando cinco vezes menos o tempo atual para que o continente africano tenha acesso aos conteúdos produzidos nas Américas, região que concentra os maiores centros de produção do mundo. O percurso da informação entre os dois países será feito em cerca de 63 milissegundos, mais rápido que um piscar de olhos.

A empresa informa ter como objetivo a criação de rotas alternativas para as que existem hoje nas telecomunicações globais, principalmente entre a África e o continente americano, impactando em aspectos como: redução de custo, aumento da velocidade de transmissão dos dados e melhoria na qualidade do acesso à informação, bem como disponibilizar maior capacidade de tráfego e assim incrementar o número de usuários de internet.

Capacidade

Com 6 mil quilômetros (km) de extensão, o Sacs terá capacidade de transmissão de 40 terabits por segundo (Tbps), com investimento da ordem de US$ 160 milhões. A Angola Cables também investiu cerca de US$ 110 milhões no cabo Monet e de US$ 30 milhões na construção de duas estações para abrigar os cabos em Fortaleza, no Data Center e na compra de equipamentos. O Monet possui 10,6 mil km e capacidade de transmissão máxima de 60 Tbps.



Total de acessos: 235228

Visitantes online: 4