Carregando...

Publicidade

Rede Estadual: Diretores de hospitais pedem melhorias nos equipamentos.

Os pedidos ocorreram durante reunião com o governador Camilo Santana e o secretário da Saúde, Henrique Javi.

20/02/2018

Gestores de hospitais públicos da rede estadual se reuniram, na manhã de ontem, com o governador Camilo Santana e o secretário da Saúde para o segundo encontro de gestão do ano. A pedido do chefe do Executivo Estadual, os profissionais elencaram três pontos críticos das unidades hospitalares. Conforme Henrique Javi, titular da Pasta de Saúde do Estado, a exigência de melhorias de equipamentos para exames e cirurgias foi unânime. Uma terceira reunião ocorrerá em março para definir o repasse e o cronograma de ações por parte do Governo.

“Essa é uma sequência de reuniões de rotina que o governador tem com os hospitais. Nos acertamos essas reuniões em 2018 para serem mensais, antes eram quadrimestrais. O principal foco do governador foi discutir as necessidades de investimento. Foram elencados três pontos de prioridade e repasses. O que é comum a todos é a necessidade do parque tecnológico. Sempre é uma ação a se demandar. Na maioria são em hospitais que têm décadas de funcionamento. Com o volume de atendimentos que é feito, batendo recordes anualmente, se produz uma sobrecarga física a esses equipamentos”, explicou Javi.

Na primeira reunião deste ano, realizada no dia 19 de janeiro, foram pontuadas ações imediatas a serem aplicadas no Monitoramento de Ações e Programas Prioritários (MAPP). “Parte deste investimento já foi contemplada nessa reunião. O que o governador está fazendo é uma reunião de acompanhamento de como estão as execuções por parte das secretarias de obras da Procuradoria que cuida das licitações para poder unir esforços e agilizar os processos que estão em curso”, salientou.

Ainda não se sabe o volume de investimento nas ações, pois estão sendo analisados valores de licitação. De acordo com Javi, o governo federal já ajuda neste processo, mas 90% dos recursos que estão sendo discutidos são do tesouro do Estado.

Estrutura

A diretora do Hospital Albert Sabin, Marfisa de Melo Portela, pontuou que a alta demanda de atendimentos enfraqueceu a estrutura dos equipamentos da unidade. “Trouxemos as prioridades. O governador já está dando os encaminhamentos necessários. No nosso caso, a infraestrutura, equipamentos precários, manutenção interna, aquisição de itens de farmácia e o custeio são as prioridades. Na próxima reunião, eles vão dizer o que prioritariamente vai ser resolvido. Nós, diretores, estamos felizes com esses encontros sistemáticos”, afirmou.

Sobre a ausência de medicamento na rede estadual, o titular da Pasta da Saúde declarou que o Estado vive uma situação controlada, mas que sofre com a ausência de alguns itens. “O que é preocupante no Brasil é a descontinuidade de produção de muitos medicamentos. Nosso maior problema é licitar, empenhar e não receber. É um dos maiores dramas que estamos vivenciando. Não representa a maior parte dos itens, mas nós temos uma parcela que passa por isso. Muitas vezes não por culpa do fornecedor, pois eles são surpreendidos pela carta do fabricante dizendo que o medicamento está descontinuado provisoriamente”, disse Javi.

Para a professora Magda Moura de Almeida do Departamento de Saúde Comunitária da Universidade Federal do Ceará (UFC), a solução é muiltifatorial. A especialista destaca que o congelamento de verbas na Educação e Saúde, pelo governo federal, tende a piorar o quadro dos hospitais. “A fiscalização precisa de um plano de intervenção. A gente teve agora cortes na Saúde e na Educação. Isso acaba influenciando na aquisição de equipamentos para o hospital. Essa questão é um reflexo desse congelamento. Vai ser complicado renovar equipamentos de ponta. É necessário a apresentação de relatórios e a população fazendo esse controle social”.

Uma solução apontada por Magda é o reforço da atenção primária. “A atenção hospitalar é cara. No mundo se tenta evitar o adoecimento. Os postos de saúde resolveriam isso em 80% dos casos. Sabemos as doenças que podem ser evitadas, mas controlamos poucos campos”.

Fortaleza

Na manhã de hoje, o prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana lançam o Plano de Investimentos para Fortaleza na área da Saúde. As ações fazem parte do Programa Juntos por Fortaleza e preveem reforma e construção de unidades, aquisição de equipamentos e novas intervenções para o setor.



Total de acessos: 235164

Visitantes online: 26