Carregando...

Publicidade

Presidente reconheceu o erro de seus próprios jogadores ao partirem para agressões e prometeu punições. (Foto: Bahia/divulgação)

Após confusão no ba-vi: Vitória irá punir atletas por agressões.

20/02/2018

Um dia depois das confusões no clássico Ba-Vi, dirigentes de ambos os clubes seguiram repercutindo e dando explicações. Do lado do Vitória, o presidente Ricardo David criticou duramente o meia Vinícius, do Bahia, pela suposta provocação à torcida rubro-negra, que, ao seu ver, iniciou a sequência de fatos que culminaria no fim prematuro da partida.

Apesar das críticas ao atleta rival, Ricardo reconheceu o erro de seus próprios jogadores ao partirem para agressões e prometeu punições. “Estamos analisando com toda tranquilidade aqueles que participaram da confusão do nosso lado. Serão punidos internamente. Tivemos três expulsões por causa disso.”

Depois de Kanu, Rhayner e Denilson, Uillian Correia também foi expulso ao matar um contra-ataque rival. Aos 32 minutos, então, o jovem Bruno Bispo, de 21 anos, forçou o vermelho para encerrar a partida prematuramente. Apesar de todas as especulações, o presidente do Vitória descartou qualquer ordem superior para que o atleta tomasse esta decisão.

“Disseram que houve uma ordem de expulsão. Isso eu posso afirmar que não houve. O Bruno, vindo da base, jovem, tomou aquela atitude pessoal e deliberada, impedindo a cobrança da falta. Estamos investigando se foi uma decisão pessoal ou do grupo. Já vimos a imagem e não percebemos uma espécie de acordo. Nosso torcedor não merecia isso”, afirmou.

Súmula

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) divulgou ontem a súmula do conturbado clássico Ba-Vi do último domingo. Através do documento, a entidade oficializou o triunfo do Bahia por 3 a 0, no Barradão, após a partida ser encerrada prematuramente graças às expulsões de cinco jogadores do lado do Vitória.

O árbitro Jailson Macedo Freitas encerrou a partida aos 32 minutos do segundo tempo por causa da ausência do número mínimo de jogadores do lado rubro-negro. No momento, o placar indicava empate de 1 a 1, mas, seguindo o que manda o Regulamento Geral de Competições da CBF, o Bahia foi declarado vencedor.

Bahia lamenta

As agressões e confusões ocorridas no gramado do Barradão, e que fizeram com que a partida fosse encerrada prematuramente foram duramente criticadas pelo presidente do Bahia, Guilherme Bellintani.

“Dia triste para a gente, para o futebol baiano e brasileiro. É uma sequência de fatos muito pesados, que marcam negativamente o futebol da Bahia e do Brasil. Cabe reflexão dos dois clubes, de todos os atletas”, disse em entrevista à ESPN Brasil. “É um fato grave o time se recusar a jogar diante de uma adversidade. Provocaram as expulsões e deixaram o campo de jogo covardemente, honestamente, na minha opinião.”

Guilherme ainda rechaçou fazer projeções para o restante do Campeonato Baiano e os próximos clássicos a serem disputados. "Não tenho condição de refletir sobre o próximo Ba-Vi, porque não sei nem se o Baiano continua”, finalizou.



Total de acessos: 235216

Visitantes online: 3