Carregando...

Publicidade

Camilo Santana disse que é preciso um olhar especial, pelo Ceará ter se tornado estratégico para as rotas internacionais do tráfico. (Foto: Yago Albuquerque)

Camilo quer que o Ceará sedie Centro de Inteligência.

22/02/2018

A intensa atuação das facções criminosas no Ceará, devido à localização geográfica do Estado, que facilita a exportação de drogas por meio de rotas marítimas e aéreas, pode fazer com que um Centro de Inteligência Regional da Segurança Pública do Nordeste seja instalado aqui.

Em solenidade para divulgar a chegada de um cabo de fibra ótica da África em Fortaleza, o governador do Ceará, Camilo Santana, defendeu, ontem, a criação de um decreto para a criação do Ministério da Segurança Pública e, que dentro da Pasta, haja um Centro de Inteligência Regional.

"O Governo Federal tem aberto os olhos para essa questão da violência que assola o Brasil inteiro. É preciso um olhar especial. Fortaleza é considerada uma rota internacional do tráfico, isso justifica que o Centro de Inteligência seja aqui no Ceará, com a participação da Polícia Federal, Polícia Civil, enfim, as forças de Segurança integradas. Isso será importante para combater o crime organizado em todo o Nordeste", disse o governador

Investimentos

Durante entrevista concedida à imprensa, Camilo Santana também falou sobre o corte de verbas no valor de R$ 18 milhões por parto do Governo Federal, que deveriam subsidiar a Segurança Pública do Ceará. O governador disse que, após recebimento da notícia extraoficial, entrou em contato com o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, e com a bancada cearense.

"Queremos identificar onde está esse corte exatamente. Os recursos do Governo Federal para a Secretaria da Segurança Pública, até o momento, foram zero. O que foi aportado ao Estado do Ceará foi um recurso do Fundo Penitenciário que, aliás, precisamos entrar na Justiça para receber a primeira parcela, e só pode ser utilizado no próprio Sistema Penitenciário, o que já estamos fazendo", afirmou Santana.

O chefe do Executivo revelou que na reunião que teve com o presidente, Michel Temer, realizada no último dia 30, foram solicitados equipamentos para um melhor trabalho das Polícias do Estado e participação das Forças Federais. Camilo Santana também recordou que a recém-chegada dos integrantes da Força Nacional representa o início de um trabalho unificado.

"Esses 36 homens vieram para fazer um diagnóstico inicial. A partir desse diagnóstico vai ser traçado um planejamento e depois se saberá a necessidade dos reforços de equipes, e em quais setores. A partir daí vamos traçar a ampliação de pessoal. Quem cometer crime no Ceará, será preso. Essa será a nossa resposta", disse o governador.

Sobre as mortes dos líderes do PCC, Santana lembrou que as investigação estão se encaminhando e, em breve, respostas serão dadas: "A prisão de mais um membro do PCC em São Paula mostra que a Polícia está trabalhando de forma integrada".



Total de acessos: 237977

Visitantes online: 22